Início Destaques

Farfetch compra negócio de streetwear

A plataforma tecnológica criada pelo empresário português José Neves anunciou a compra da maior retalhista mundial online de ténis e streetwear Stadium Goods. O negócio dá à Farfetch uma fatia do mercado do sportswear, que em 2017 estava avaliado em 70 mil milhões de dólares.

José Neves

A aquisição foi feita por 250 milhões de dólares (cerca de 220 milhões de euros) e prevê que a Stadium Goods, fundada em 2015, seja uma subsidiária detida na totalidade pela Farfetch, mantendo a equipa fundadora – John McPheters e Jed Stiller – na gestão.

Em comunicado, José Neves, fundador, CEO e copresidente do conselho de administração da Farfetch, afirma a sua satisfação pelo negócio. «Tendo já colaborado com esta equipa excecional através da Farfetch, é claro que esta é uma grande oportunidade para as nossas duas empresas aproveitarem as forças uma da outra para conseguir uma quota maior deste segmento da moda de luxo entusiasmante e em rápido crescimento», revela.

John McPheters e Jed Stiller

Os elogios de José Neves à Stadium Goods vão mais longe, com o empresário português a destacar que a equipa da Stadium Goods «construiu uma empresa fantástica, com um conjunto de pessoas talentosas, clientes dedicados e fiéis e um valor de marca impressionante». O CEO da Farfetch acrescenta ainda estar «confiante de que podemos ajudar a Stadium Goods a aumentar a sua presença internacional em todo o mundo através do nosso conhecimento em tecnologia, logística e dados». A Farfetch, por seu lado, aponta José Neves, «irá beneficiar da marca da Stadium Goods, do acesso ao aprovisionamento e de uma equipa com uma forte paixão e conhecimento do streetwear de luxo».

Além da plataforma online de vendas, a Stadium Goods conta com uma app para iOS e Android, uma loja física no Soho, em Nova Iorque, e tem os seus artigos à venda na Farfetch desde abril de 2018, tendo registado fortes vendas desde o início. Após a aquisição, a Stadium Goods vai continuar a operar como uma marca independente, com o seu inventário a ser completamente integrado na plataforma da Farfetch e disponibilizado em todos os mercados.

Um futuro antecipado com expectativa por John McPheters, cofundador e co-CEO da Stadium Goods. «Não podíamos estar mais entusiasmados por nos juntarmos à família Farfetch numa altura em que estamos a entrar na próxima fase da nossa evolução enquanto marca mundial», refere em comunicado, asseguranto que com a capacidade logística e tecnológica da Farfetch, e com a base de consumidores da plataforma de moda de luxo, «estaremos numa posição privilegiada para capitalizar a procura internacional massiva de ténis e streetwear. O José e a sua equipa partilham uma visão semelhante sobre o futuro da moda e do retalho e juntos acreditamos que as inúmeras sinergias e a nossa combinação cultural irrepreensível irá fazer desta uma parceria perfeita».

Um mercado em crescimento

As duas empresas estão a tentar ganhar quota num mercado que está em rápido crescimento. De acordo com a Bain & Co, citada pelo Business of Fashion, o mercado online de moda de luxo deverá crescer de uns estimados 26 mil milhões de euros em 2018 para um valor entre 80 e 91 mil milhões de euros em 2025. Os ténis são uma parte fulcral deste desenvolvimento, estimando-se que em 2017 tenham gerado 4 mil milhões de dólares, enquanto o mercado de sportswear premium atingiu os 70 mil milhões de dólares.

Desde que entrou na Bolsa de Valores de Nova Iorque, a Farfetch deixou claro que pretende explorar novos mercados, nomeadamente a China e o Médio Oriente, e adicionar marcas e retalhistas à plataforma.

A empresa liderada por José Neves, que anunciou vendas de 310 milhões de dólares na sua plataforma no terceiro trimestre, equivalente a um aumento de 53% face ao mesmo período do ano anterior, tem vindo a adquirir outros negócios, incluindo a agência chinesa de marketing digital CuriosityChina, em julho, e a retalhista britânica Browns, em 2015.

A Stadium Goods abriu a loja no Soho em 2015, tendo começado por revender ténis de edição limitada para um mercado cada vez maior de fãs de ténis, dispostos a gastar milhares de dólares por modelos raros. Em janeiro de 2017, a empresa angariou 4,6 milhões de dólares numa ronda de financiamento liderada pela Forerunner Ventures e em fevereiro de 2018 o LVMH comprou uma quota minoritária no negócio. No ano passado, a Stadium Goods registou vendas superiores a 100 milhões de dólares.