Início Arquivo

Feliz Natal na Next

A Next Plc reviu em alta as suas previsões de lucro após ter registado uma forte época de Natal, em que as vendas ficaram «significativamente acima das expetativas». A empresa revelou que as vendas totais subiram 11,9% no período de 1 de novembro a 24 de dezembro, em comparação com o período homólogo de 2012. As vendas nas lojas aumentaram 7,7%, enquanto o negócio Directory, que inclui as vendas online, registou um crescimento de 21%. A performance significa que a Next irá rever em alta as previsões de lucro anuais, para o ano que termina a 25 de janeiro, para valores que se situam entre 684 e 700 milhões de libras (823,8 e 843 milhões de euros). Anteriormente, a retalhista antecipava lucros entre os 650 e os 680 milhões de libras, o que representa um aumento em termos anuais entre 4,6% e 9,4%. A Next considera que os bons resultados no Natal se ficaram a dever, sobretudo, à melhoria no vestuário em malha sazonal, no vestuário de noite e na oferta de presentes. Também revelou que os consumidores continuaram a fazer compras no Next Directory até ao fim de semana antes do Natal. No entanto, a retalhista advertiu que «por isso mesmo é pouco provável que a força demonstrada neste trimestre continue no primeiro semestre do novo ano financeiro e claro que o sucesso desde ano irá representar comparações difíceis no quarto trimestre do próximo ano fiscal». A Next também sublinhou que, embora as perspetivas económicas continuem a melhorar, um crescimento reduzido ou nulo em termos reais significa que é pouco provável que haja qualquer aumento significativo no consumo total no próximo ano fiscal. A retalhista de moda, cujas ações subiram 47% no ano passado, revelou que irá pagar um dividendo especial de 0,50 libras por ação a um custo de 75 milhões de libras e tem um plano para fazer mais pagamentos em vez de comprar mais ações. A forte performance da Next destaca-se em contraste com a da Debenhams, o segundo maior grupo britânico de grandes armazéns, que lançou um aviso de lucro, causado, segundo indicou, pelo ambiente altamente promocional na época antes do Natal. Esse foi também um problema enfrentado pela maior retalhista britânica de vestuário, a Marks & Spencer, que, numa ação inesperada, reduziu 30% dos preços de vestuário nos dias antes do Natal, levando a receios de que também tenha sido afetada por más vendas. Juntamente com a Next na categoria dos vencedores encontra-se, por seu lado, a John Lewis, o maior grupo de grandes armazéns da Grã-Bretanha, que também registou fortes vendas no Natal.