Início Notícias Têxtil-Lar

Fileira casa troca feiras por plataformas digitais

A verba de dois milhões de euros inicialmente destinada à participação em certames profissionais foi realocada para a promoção digital. As empresas da fileira casa, que inclui, entre outras, os têxteis-lar, colchoaria e tapeçaria, podem agora integrar plataformas como a da Maison & Objet ou uma exposição virtual na app Furniture PT.

Nos últimos cinco anos, as indústrias que integram a fileira casa portuguesa, realizaram, segundo a APIMA – Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins, mais de 950 participações em 109 feiras sectoriais, «contribuindo decisivamente para o crescimento superior a 30% das exportações».

As restrições às viagens e o cancelamento dos eventos profissionais levaram agora a associação, juntamente com a AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a redesenhar a estratégia, alocando os recursos para iniciativas digitais.

«Na última década, a fileira casa portuguesa, através de um conjunto de certames e missões empresariais, alcançou um reconhecimento e posicionamento internacionais que não poderão ser minorados, face às limitações atuais», afirma Joaquim Carneiro. «O mercado premiará os países e as empresas que demonstrarem maior resiliência e agilidade, pelo que acreditamos que esta redefinição da estratégia criará as condições necessárias para que o tecido empresarial nacional continue a projetar-se com qualidade e diferenciação a nível externo», acrescenta o presidente da APIMA.

Os dois milhões de euros anteriormente devotados à participação em feiras internacionais, entretanto canceladas, como a iSalone Milano e a ICFF New York, serão canalizados para o investimento em cinco ações: três plataformas digitais internacionais, o reforço e melhoria da comunicação e imagem e a criação de uma exposição virtual na app Furniture PT.

Plataformas internacionais

No âmbito das plataformas internacionais, as empresas portuguesas da fileira casa, que inclui os sectores do mobiliário, têxteis-lar, iluminação, colchoaria, tapeçaria e utilidades domésticas, entre outros, poderão aderir à MOM, uma iniciativa da organização da feira francesa Maison & Objet que conta já com cerca de meio milhão de utilizadores registados, entre retalhistas, distribuidores, designers e empresários, que realizam mais de 2,5 milhões de visitas anuais ao website. A APIMA negociou três pacotes com a plataforma, com diferentes quantidades de produtos expostos e ações de marketing diferentes para as empresas selecionarem o que mais se adequar.

O programa de financiamento prevê também a possibilidade de aderir à Archiproducts, que, de acordo com a APIMA, «é o maior canal digital mundial para os sectores da arquitetura e do design, com dez mil fabricantes e mais de 2,7 milhões de profissionais inscritos. Anualmente, são registadas mais de 30 milhões de visitas, impulsionadas pelas completas campanhas de marketing que a plataforma proporciona aos expositores». A proposta da APIMA e da AICEP permite que as empresas possam expor um total de 200 produtos, por um período de um ano.

Por último, está contemplada a inserção no BIMobject, um site de conteúdos BIM (Building Information Modeling), que consiste na construção de um modelo virtual, tridimensional, dos aspetos físicos e funcionais de uma construção, contendo toda a informação relativa às características de cada uma das suas componentes construtivas. «Pelo realismo e profundidade da informação, esta metodologia permite uma divulgação e colaboração internacional, célere e ágil, dos produtos, conectando fabricantes a arquitetos, designers, decoradores e empresários», sublinha a APIMA, que refere que o BIMobject é líder, com cerca de dois milhões de utilizadores, e que, durante a pandemia, bateu recordes de visitas e downloads de materiais. O protocolo estabelecido oferece condições mais vantajosas às empresas portuguesas, que poderão ser conhecidas no webinar que se realiza na próxima quinta-feira, 4 de junho, às 15 horas.

Reforço da comunicação

A nova estratégia de internacionalização para a fileira casa prevê igualmente uma exposição virtual do “Portuguese Lifestyle” na aplicação Furniture PT, uma plataforma da APIMA, criada pela Multitema, onde cada empresa poderá integrar um espaço onde divulgará o catálogo de produtos, novas coleções, novidades e ações comerciais, desde vídeos a eventos digitais e notícias.

O financiamento pode também abranger a criação deste tipo de conteúdos. «O potenciamento da presença nestes canais internacionais exige que as empresas expositoras possuam conteúdos de imagem e de vídeo de alta resolução, capazes de valorizar a qualidade e a estética dos produtos nacionais. Nesse sentido, a redefinição do Projeto Conjunto de Internacionalização prevê o investimento na criação de fotografias de produto em alta definição, bem como na gestão da comunicação e de social media», resume a APIMA.

Em 2018, a fileira casa portuguesa foi responsável por cerca de 2,5 mil milhões de euros em exportações, equivalente a 4,3% do total nacional. A associação refere ainda que as ações incluídas neste projeto são financiadas a 50% e que «o valor destinado a estas novas iniciativas poderá ainda ser aumentado, em função da evolução da situação sanitária e das respetivas medidas de segurança e mitigação».