Início Arquivo

Fimi reestrutura-se

«A feira está com um aspecto mais clean. O facto de todos os stands serem iguais permite uma maior visibilidade de todo o recinto e, por consequência, dos produtos expostos, pois já não existem stands altíssimos que por vezes faziam sombra aos outros», afirmou José Armindo, administrador da Inarbel que detém a marca Dr Kid, uma presença habitual na Fimi. A Casa do Bebé, Beppi, Kids for the World e Ponto por Ponto foram as restantes marcas portuguesas presentes na feira de Valência sob o selo de identidade Childrens Fashion From Portugal, numa iniciativa da Anivec/Apiv. «Apesar da conjuntura económica pouco favorável e de todo o ambiente de pessimismo, continua-se a fazer negócio», referiu António Amorim Alves da Anivec/Apiv. «Nota-se que a feira está mais pequena, mas é também visível o regresso de empresas que tinham saído da Fimi. O novo conceito deu um impulso a este certame» acrescentou. Esta é igualmente a opinião partilhada por Margarida Brandão, administradora da A Casa do Bebé, que afirmou que «o novo modelo resultou. Houve mais animação, mais cor e mais luz. Em termos de negócio, a nossa participação foi positiva. Para além de Espanha, estabelecemos contactos com os mercados de Itália, Reino Unido, Grécia e Dubai». Segundo Pepa Ortiz, directora do certame, a Feira Internacional de Moda Infantil e Juvenil é a melhor fonte de informação do sector da moda infantil. «Com o novo projecto, possibilitamos que todas as empresas grandes, pequenas, nacionais ou estrangeiras pudessem participar. A Fimi é a democratização do sector da moda infantil» salientou. Entre outras acções integradas neste novo conceito de feira, o destaque foi para o See me in Fimi. Tratou-se de um espaço colectivo alternativo de novas tendências que exibia marcas de moda, calçado e acessórios ecológicos e de comércio justo. «As marcas presentes no See me in Fimi conseguiram entrar no mercado espanhol. Apostaram neste projecto e conquistaram novos clientes. Alguns afirmaram estar bastante satisfeitos com esta experiência e prometeram regressar em Janeiro com um stand individual», explicou Pepa Ortiz. Esta edição ficou também marcada pelo lançamento da marca “Espanha” no segmento de moda infantil e puericultura pela Asepri – Associação Espanhola de Fabricantes de Produtos para a Infância. Segundo o Presidente da Asepri, Vicent Mompó, o desenho, a qualidade, a inovação e respeito pelo meio ambiente são os requisitos mínimos para se obter esta marca. Relativamente às tendências para a Primavera/Verão 2010, os artigos inspirados na natureza, ecologia e espaço livre, bem como o uso dos tecidos técnicos, reflexo da vida urbana, mostraram ter potencial de crescimento nos próximos anos. A Fimi 69 edição foi visitada por importadores, distribuidores, retalhistas, agentes e visitantes estrangeiros procedentes da Alemanha, Arábia Saudita, Portugal, áustria, Bélgica, Canadá, Croácia, Chipre, China, Estados Unidos, Egipto, França, Grécia, Holanda, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Coreia, Kuwait, Líbano, Marrocos, México, Puerto Rico, República Dominicana, Roménia, Rússia, áfrica do Sul, Suécia, Suiça, Taiwan, Turquia, Reino Unido e Venezuela.