Início Notícias Vestuário

Fluyt pinta camisas de verde

Atenta à sustentabilidade, a marca de slow fashion Fluyt tem vindo a incorporar matérias-primas mais ecológicas nas coleções para ir ao encontro de um consumidor que acredita em comprar mais em qualidade do que em quantidade.

[©Fluyt]

A Fluyt aposta sobretudo em «camisas com qualidade superior, bom gosto a um preço atingível», revela João Trancoso, sócio da marca criada em 2018.

Direcionado para um público masculino essencialmente urbano, ligado à natureza e às atividades outdoor, mas que gosta de se apresentar num estilo casual chique, a marca de slow fashion é «um compromisso perfeito entre formalidade e irreverência», afirma ao Portugal Têxtil.

Conhecida pelas camisas de flanela, o seu produto-estrela, a Fluyt lança quatro coleções por ano, «essencialmente para que haja sempre novidades. Mas obviamente que existem dois momentos demarcados, o verão e inverno, mas não nos colamos a esses timmings para lançamentos das nossas peças», assegura João Trancoso.

[©Fluyt]
A qualidade dos tecidos, os padrões irreverentes oldschool e o corte das camisas são os três vetores que regem a conceção de qualquer peça da marca, que tem vindo a incorporar novas matérias-primas como o liocel para «garantir a parte de
sustentabilidade».

À venda através do website, a Fluyt pode ainda ser encontrada no showroom da insígnia em Alvalade e nas lojas Papua Market, em Lisboa, e no Be We, em Cascais. «Os próximos projetos centram-se, neste momento, em estarmos presentes no
norte de Portugal, onde temos já vários clientes que nos têm transmitido
a necessidade de estarmos lá fisicamente», adianta o empresário.

Neste último ano, a Fluyt tem cimentado parcerias com alguns elementos que
considera ser «a “cara” da marca, atravessando todas as gerações, desde
os mais novos aos mais experientes. Um dos rostos mais visíveis tem
sido Ricardo Carriço, uma pessoa impecável e que partilha os mesmos
valores da marca e dos seus fundadores», salienta João Trancoso.

[©Fluyt]