Início Destaques

Focus Country Portugal marcou pontos

O destaque dado na Première Vision Manufacturing a Portugal trouxe mais-valias à confeção nacional mas também aos expositores de outras áreas, com os elogios ao know-how e criatividade “made in Portugal” a estender-se aos fios, aos acessórios e aos tecidos.

Portugal foi o protagonista da mais recente edição da Première Vision Paris, com o Focus Country Portugal, organizado em parceria pelo CENIT – Centro de Inteligência Têxtil e pela ASM – Associação Selectiva Moda, a captar as atenções. Na Première Vision Manufacturing, onde estiveram 13 empresas confecionadoras, os milhares de visitantes que passaram pelo certame puderam apreciar a criatividade e a capacidade de inovação e de produção das empresas portuguesas, entre as quais a Calvelex, que, como revela o administrador César Araújo em entrevista, está a projetar novos investimentos para continuar a ser uma referência na confeção para o segmento médio-alto e de luxo.

A boa imagem da indústria portuguesa, que foi elogiada pelo Governo – na figura do Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, e do Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza – foi sentida também nas outras áreas da feira, como explicam, na edição de outubro do Jornal Têxtil, João Almeida, administrador da JF Almeida (expositora na PV Yarns), Paulo Melo, administrador da Somelos Tecidos (expositora na PV Fabrics), e António Carneiro, sócio-gerente da Envicorte (expositora na PV Accessories).

A Première Vision Paris continua a ser, de resto, uma referência para a indústria têxtil e vestuário portuguesa, com várias empresas a apontarem baterias a Paris. É o caso da empresa produtora de fios especiais Logik, que está a expandir os seus horizontes e a levar os seus produtos da Covilhã para novos mercados, e da João António Lima Malhas, que à moda está a juntar a produção de malhas para a indústria automóvel – duas histórias diferentes e ambas imperdíveis para ler nesta edição do Jornal Têxtil.

Conheça ainda o fabuloso destino da Trotinete e o percurso “ao contrário” da Top Trends, que a par com a marca MDS está agora a produzir em private label.

Entre as grandes reportagens, aprecie a arte têxtil que a Contextile voltou a reunir em Guimarães e o impacto que a exposição internacional pode ter na indústria têxtil e vestuário portuguesa e fique a par das muitas novidades e das tendências da maior feira de têxteis-lar na Europa, com a Heimtextil 2019 já a mexer.

Acompanhe o sobe e desce dos preços e as inovações que estão a dominar o mercado das matérias-primas, as revoluções que estão a mudar os têxteis inteligentes e os números que marcam a economia portuguesa e a indústria têxtil e vestuário nacional nas nossas páginas de conjuntura.

Espreite ainda o balanço da feira Maroc in Mode, onde Portugal esteve em foco, e conheça a resposta à pergunta “Estará a produção de volta a casa?”, com um estudo da McKinsey & Company a dar algumas pistas e indicações do papel de Portugal no nearshoring.

Tudo isto e muito mais na edição de outubro do seu Jornal Têxtil. Se ainda não é assinante, não espere mais e faça já a sua subscrição para receber todos os meses a informação que faz a diferença para a indústria têxtil e vestuário.