Início Notícias Marcas

FS Baby pelo mundo

Ultrapassado o marco dos 25 anos, a FS Confecções renova expetativas para o seu maior cliente: a sua marca própria FS Baby, que chega a mercados tão distintos como Itália, Rússia ou México. Arábia Saudita, China e Colômbia são as próximas metas da marca de vestuário infantil.

Rodney Duarte

90% daquilo que a FS Baby, nascida no seio da FS Confeções, vende é para exportação, sendo a diversificação de mercados a chave para as vendas internacionais. «Começamos a fazer um negócio com a Arábia Saudita e a trabalhar com a Colômbia. Devido a questões políticas, por vezes, perdemos um mercado, encontramos um mercado novo… realmente faz-nos estar sempre à procura de novos mercados», afirma Rodney Duarte, gestor de vendas internacionais da marca.

«Vamos começar a apostar na China, porque é um mercado que tem potencial. É um mercado onde a classe média-alta que tem vindo a crescer nos últimos tempos. Eles estão à procura de produtos europeus, qualidade e design. É uma aposta um pouco arriscada, mas é algo que estamos a tentar», revela ao Portugal Têxtil.

Para chegar a novos mercados, a FS Baby não se descuida em relação às suas peças, que vestem desde o recém-nascido até aos 36 meses. «O design é exclusivo e desenhado por nós. Temos uma coleção 100% algodão orgânico, que é uma matéria-prima em que estamos a apostar. Quisemos seguir a tendência da sustentabilidade, que também é uma preocupação da própria empresa. Estamos sempre a tentar apostar na economia circular e verificar onde podemos melhorar e transmitir esses valores às pessoas. É agora uma preocupação global, por isso, acho que as marcas agora têm a responsabilidade também de seguir», garante Rodney Duarte.

De Porto de Mós para o mundo

A FS Confeções, que este ano celebra 26 anos, também produz para private label, mas a marca já representa cerca de 80% da produção. Em Porto de Mós, a FS Confeções emprega 25 pessoas e tem vindo a realizar investimentos de olhos postos na ecologia. «Estamos sempre a atualizar as nossas máquinas de produção, pela eficiência energética, pela rapidez, pela precisão e pela qualidade. Por exemplo, adquirimos recentemente uma máquina de bordados nova com maior eficiência energética. Trabalha mais rápido e com mais qualidade», aponta o gestor de vendas internacionais.

Presente em cerca de 400 lojas multimarca, a FS Baby também está à venda em department stores, além de ter loja própria online. «[A loja online] foi criada para ser business to business, porém, depois, como já tínhamos a plataforma, achamos que também devíamos oferecer aos nossos clientes e ao público uma alternativa. Então também é business to consumer», explica.

O ano de 2018 foi «difícil, mas dentro das expectativas. O mercado têxtil e de moda renova-se de seis em seis meses, com novas exigências do mercado, novas cores e tendências», admite Rodney Duarte. Deste modo, o volume de negócios manteve-se no milhão e meio de euros.

Na primeira metade de 2019 «não houve melhorias, mantivemos. As questões políticas afetam-nos bastante. Como estamos em mercados muito distintos, temos que estar sempre à procura. Estávamos, por exemplo, a vender relativamente bem para a Tunísia e quando mudaram as políticas de importação, o nosso cliente foi obrigado a descer bastante a encomenda que normalmente tínhamos», adianta. Para a segunda metade do ano, «manter as vendas era ótimo, porque realmente os mercados têm apresentado vários desafios. Queremos manter o volume de negócios e manter-nos atualizados», conclui o gestor de vendas internacionais.