Início Notícias Mercados

G7 pela segurança do sourcing

O grupo das principais nações industrializadas comprometeu-se a lutar por cadeias de aprovisionamento globais mais responsáveis na indústria têxtil e vestuário – incluindo o lançamento de um novo fundo que permitirá melhorar as condições de trabalho e compensar as vítimas de acidentes laborais.

Os líderes da Alemanha, França, Reino Unido, Itália, Japão, EUA e Canadá vão apoiar o Fundo Vision Zero, que será criado em parceria com a Organização Internacional do Trabalho para reduzir as mortes e ferimentos graves em espaço laboral, como o sucedido aquando do colapso do edifício Rana Plaza no Bangladesh, onde mais de 1.100 trabalhadores da indústria de vestuário perderam a vida.

Os destinatários do dinheiro serão limitados àqueles que «se comprometem a tomar medidas de prevenção e a aplicar normas laborais, sociais, ambientais e de segurança». O grupo afirmou, também, que ferramentas, como aplicativos, têm um papel a desempenhar na ajuda prestada aos consumidores na comparação da informação social e ambiental dos produtos e na compreensão de como as peças de vestuário são confecionadas. «Além disso, vamos fortalecer as iniciativas de múltiplos stakeholders nos nossos países e nos países parceiros, nomeadamente no sector têxtil e vestuário, tomando como base as boas práticas aprendidas no seguimento do Rana Plaza», acrescentou.

Será, também, disponibilizado apoio suplementar aos países que promovem cadeias de aprovisionamento globais responsáveis. Os líderes do G7 admitiram reconhecer «a responsabilidade conjunta de governos e empresas na fomentação de cadeias de aprovisionamento sustentáveis e no incentivo de melhores práticas». Em declaração conjunta, divulgada após o encontro na Alemanha no início desta semana, sublinharam que «condições de trabalho inseguras e deficitárias conduzem a perdas sociais e económicas significativas e estão ligadas a danos ambientais.

Dada a nossa participação de destaque no processo de globalização, os países do G7 têm um papel importante a desempenhar na promoção dos direitos laborais, condições dignas de trabalho e de proteção do ambiente nas cadeias de fornecimento globais». O documento afirma que as nações do G7 se comprometem a «tomar medidas para promover melhores condições de trabalho, aumentando a transparência, promovendo a identificação e prevenção dos riscos e reforçando os mecanismos de reclamação». A par de incentivar as «empresas ativas ou sediadas nos nossos países a implementar procedimentos due diligence a respeito das suas cadeias de aprovisionamento», os líderes apoiam, simultaneamente, os «esforços internacionais, incluindo a participação do sector privado, na promulgação de normas de due diligence em toda a indústria têxtil e vestuário».

Comprometeram-se, também, a «fortalecer as iniciativas que envolvem múltiplos stakeholders nos nossos países, assim como em países parceiros», que devem sustentar o seu desenvolvimento nas «boas práticas aprendidas no rescaldo do Rana Plaza».