Início Notícias Moda

Gallery digitaliza-se e potencia showroom

De 26 a 28 de janeiro, a Areal Böhle, na Alemanha, acolhe uma nova edição da Gallery, que irá alargar a sua aposta no espaço showroom. O aumento da procura por parte de marcas de acessórios e calçado e uma nova entrada principal são algumas das principais novidades anunciadas.

A ligação entre as duas feiras irmãs do grupo lgedo – a Gallery e a Gallery Shoes – é cada vez mais forte, garante a organização. Há um número crescente de expositores das áreas do calçado e acessórios que estão a utilizar as quatro datas possíveis na Areal Böhler e a optar pela Gallery, que atrai uma média de 800 marcas internacionais de mais de 25 países e aproximadamente 6 mil compradores europeus.

A maior procura está a revelar-se particularmente benéfica para o Showroom Concept, que conta com um calendário alargado, à semelhança de outras edições, de 25 a 29 de janeiro de 2019. «Já havia uma grande procura por sapatos e acessórios em julho de 2018. 45% de aproximadamente 6 mil compradores profissionais da Europa foram ao certame para ver e encomendar sapatos, malas, produtos em pele, joalharia e acessórios», revela Ulrike Kähler, diretora-geral da Igedo Company e diretora de projeto da Gallery e da Gallery Shoes (só dedicada ao calçado). «Reparámos que, para cada vez mais agências e marcas dedicas ao calçado, a antecipação acabou por ser um fator importante», reconhece.

O Showroom Concept, que ficará no espaço Kaltstahlhalle, inclui, por exemplo, agências especializadas como a One Eleven, a Stornello e a xplusplus e marcas como a Café Noir, a Liz Fedder, a Shoe&Style e a Lottusse. A lista de expositores inclui também marcas de acessórios como a Admaiora, a italiana Il Cappellaio Matto, a Börjesson Handskar da Suécia, a marca belga CATH•S e marcas alemãs como a Ambra, a b.belt, a Vanzetti ou a Djian, a Hi-Di-Hi dos Países Baixos e, da Suíça, a Veronica Gautsch. Há ainda marcas de acessórios que estão de volta, como a Ahmaddy, a Anna Kaszer, a Bellissima, a cimp Schmuckdesign, a Caridei, a MGM Design, a P-Modekontor, a Otracosa e a P-Silk Route. Quanto a marcas de chapéus, surgem nomes como a Alfonso D’Este, a bedacht, a ID Hats, a Kopka e a Mayser.

«Na Gallery, como noutros formatos bem-sucedidos do género, em Paris por exemplo, potenciar o showroom é possível devido ao espaço útil», aponta Ulrike Kähler. «Aqui, encontra-se sportswear, bem como marcas de designers internacionais, sapatilhas, saltos altos ultra femininos, rodeados de bolsas, joias e acessórios. É uma grande vantagem para todos os envolvidos, incluindo para visitantes profissionais, que a Gallery ainda esteja em posição de oferecer um espectro tão alargado de produtos. Mas, simultaneamente, o vestuário deve permanecer no centro de tudo», explica.

Tecnologia e inovação

A nova localização da entrada, entre o Alte Schmiedehallen – o coração da feira – e o Kaltstahlhalle, é uma das melhorias mais relevantes do salão. A nova entrada principal vai unir as duas áreas e aproximar os grupos de visitantes, com objetivo de facilitar as sinergias no certame. Haverá uma estrutura envidraçada, de modo a conferir uma vibração mais elegante à entrada, a combinar com o design industrial do espaço e dos halls.

O serviço de registos dos visitantes no local também contará com algumas inovações, como colunas digitais abertas que irão substituir os balcões. O processo de registo poderá ainda ser realizado nas paragens e nos próprios transportes. «Vivemos tempos de ritmo acelerado. A digitalização é obrigatória. É por isso que estamos também a aperfeiçoar os nossos serviços online, para garantir que nos mantemos a par da inovação, com os melhores serviços possíveis e com ideias flexíveis», afirma a diretora-geral da Igedo Company. «No entanto, nunca seremos uma feira totalmente digital, e ainda nos vemos como um espaço de encontros onde as pessoas gostam de estar. Na verdade, os encontros cara a cara e o contacto pessoal permanecem essenciais. Quando se faz um pedido de encomenda, é melhor ver os produtos pessoalmente do que apenas virtualmente», considera Ulrike Kähler. As melhorias permitem agora, por exemplo, apresentar um bilhete digital, usando a aplicação Wallet, que garante acesso direto à entrada da feira.

Os halls e as marcas

O Showroom Concept vai permanecer no Kaltstahlhalle. O Agentur Klauser ficará no exclusivo Halle am Wasserturm e a Modeagentur Schiess e outras agências no Altes Kesselhaus. Como sempre, o Alte Schmiedehallen vai contar com quatro segmentos: accessories & shoes, evening & occasion, contemporary e avantgarde & design.

No Kaltstahlhalle, no Showroom Concept, estarão expostas coleções de mulher e homem pela Allegri, acessórios pela Bisonte, casacos da Add, vestuário masculino pela Manuel Ritz e Circolo 1901 e roupa para homem e mulher da Barbed, não esquecendo a marca de denim Blue de Genês da Dinamarca nem as camisolas de Edward Cooper. No “Halle am Wasserturm’, os visitantes vão encontrar a Agentur Klauser, que vai mostrar, por exemplo, vestuário feminino da França pela Majestic  Filatures e roupa masculina pela Salvatore Piccolo, de Itália.

O espaço avantgarde & design vai contar com marcas sofisticas e arrojadas, assim como uma seleção de designers internacionais, como Art Point, Black by K&M, Crea Concept, Guffer & Fluf, Pal Offner, Sarah Pacini, Black Label, Trine Kryger Simonsen e Ümit Ünal.

O evening & occasion vai juntar glamour e elegância feminina no Alte Schmiedehallen’. As coleções internacionais vão incluir marcas como Christian Koehlert, Fashion New York, Gina Bacconi, L’Atelier pour la Femme, Luxuar e Mascara.

Atividades para além da feira

O alinhamento informativo da feira inclui a Gallery Trendview, por Karolina Landowski da Fashion Trend Pool e Alexander Radermacher, diretor criativo do grupo Igedo. Os dois especialistas vão apresentar as tendências internacionais para a estação outono-inverno 2019/2020, no Alte Schmiedehallen. Haverá ainda um encontro internacional para visitantes, expositores e especialistas, que acontece no domingo, 27 de janeiro de 2019, depois do evento.