Início Notícias Calçado

Gallery Shoes sem medo das tempestades

Apesar das condições climatéricas não terem favorecido a frequência da feira, quase 10.000 profissionais deslocaram-se à Areal Böhler para conhecer as propostas das mais de 550 marcas que participaram na Gallery Shoes, incluindo 46 portuguesas.

A forte tempestade que afetou as várias regiões da Alemanha na altura da feira, que decorreu de 10 a 12 de março, não impediu que a Gallery Shoes voltasse a concentrar os principais players da indústria de calçado.

«O certame atraiu uns estimados 9.800 visitantes profissionais, um número encorajador que teria sido maior se não fosse a grave situação de tempestade na região da Renânia do Norte-Vestfália e em grandes partes da Alemanha no domingo à tarde, o que causou problemas nas viagens e tiveram de ser implementadas medidas de segurança adequadas no recinto» revela Ulrike Kähler, diretora-geral da Igedo e diretora de projeto das feiras em Düsseldorf. No entanto, afirma, «logo no domingo de manhã já havia um bom fluxo de visitantes e os pavilhões da Areal Böhler estavam muito movimentados. O mesmo aconteceu na segunda-feira».

Edição de confirmação

Na quarta edição após ter substituído a GDS, em setembro de 2017, a Gallery Shoes parece ter encontrado o seu lugar no universo do calçado. «A Gallery Shoes é um evento bem estabelecido. Isso não é apenas algo que sentimos nas nossas viagens ao estrangeiro para procurar novas marcas, mas também quando visitamos importantes retalhistas europeus», sublinha Ulrike Kähler.

Entre os expositores, as opiniões confirmam este posicionamento. «A Gallery Shoes é uma plataforma de comunicação muito importante dentro da indústria e conseguiu estabelecer-se fortemente. A nossa deslocalização para uma nova área tem sido positiva. A feira foi um enorme sucesso para nós e há um ambiente incrível aqui», afirma Achim Gabor, diretor-geral e proprietário da Gabor.

Thomas Wetzlar, diretor de vendas da Naturino e diretor-geral da Scalerion, assume que a Gallery Shoes «é o ponto alto da nossa época de encomendas. Gostamos do grande número de visitantes interessados e regularmente mostramos os novos modelos da Naturino na feira. É um certame obrigatório».

«A Gallery Shoes é a única plataforma de que necessitamos. Estamos muito contentes com a organização e com os contactos que tivemos», aponta, por seu lado, Marcel Melzig, vice-presidente da What For.

Além da apresentação das novas coleções por parte dos expositores, a Gallery Shoes contou com desfiles no hall Premium e diversas apresentações de tendências, que permitiram aos visitantes manter-se a par do que será o futuro do calçado.

Em relação à internacionalização dos visitantes, em particular, a diretora-geral da Igedo indica que, após quatro edições, a Gallery Shoes conseguiu criar uma plataforma sólida e uma reputação credível para despoletar debates sobre a indústria e até, a médio prazo, para criar princípios de cooperação com os principais expositores.  «Outro benefício é que o portefólio da Gallery Shoes está a desenvolver-se de forma dinâmica e, em alguns casos, a ser alargado dentro das zonas. Como resultado de um novo layout da Halle am Wasserturm, por exemplo, foi criado espaço para novas marcas premium. E ainda há espaço para uma expansão gradual na Areal Böhler», conclui.