Início Arquivo

Ganhar no Mundial

Analisando o efeito induzido pelos anteriores torneios entre selecções, espera-se que o mundial de futebol que se encontra a decorrer impulsione o crescimento do mercado de sportswear no Reino Unido. Tal efeito sentir-se-á durante a competição e prolongar-se-á nos meses subsequentes. Em 2002, este Mercado obteve um crescimento de 24% nas 12 semanas que antecederam a final de 30 de Junho, disputada entre as selecções do Brasil e da Alemanha, tendo os adeptos aderido à compra deste tipo de vestuário como forma de manifestarem o apoio às suas equipas. Segundo dados do TNS Worldpanel Fashion, muitas marcas e cadeias especializadas de retalho estão a direccionar os seus esforços de marketing para o evento na expectativa que o crescimento observado há 4 anos seja repetido com maior intensidade neste mundial. O mercado Britânico de sportswear, onde se incluem as categorias de vestuário, calçado e acessórios, tinha uma dimensão aproximada de 1.820 Milhões de Libras (cerca de 2.676 milhões de Euros) nas 24 semanas anteriores a 2 de Abril de 2006, um decréscimo de 2% face a igual período do ano anterior. Este decréscimo contrasta com o mercado de vestuário em geral que obteve um crescimento de 2%. Além da queda dos valores absolutos de vendas, os preços acompanharam essa descida tendo em conta que os retalhistas (nomeadamente as lojas de desporto) aplicaram descontos mais significativos nos seus produtos. Calcula-se que uns impressionantes 40% do volume de vendas nos últimos 6 meses tenham sido efectuados mediante descontos presentes no preço dos produtos. O sportswear para crianças foi onde se registaram as maiores descidas de preços, tendo as vendas com desconto subido 26% face ao ano anterior. As vendas relativas às marcas com maior representatividade no mercado caíram cerca de 45 milhões de libras, em grande parte devido à redução de 9% no preço dos produtos. Fiona Bell, directora do painel da TNS afirma: «Cerca de metade dos artigos de marca são agora vendidos a preço de desconto, os fabricantes e as cadeias de retalho esperam por um bom desempenho da selecção inglesa no torneio, desempenho esse que poderá representar um aumento de vendas».
Os homens tem liderado o declínio do mercado de vestuário desportivo, que caiu 11% no ano passado, com os consumidores a comprarem menos artigos apesar da queda de preços verificada. O segmento de mercado masculino até aos 35 anos de idade foi aquele em que a queda foi mais acentuada em parte devido às tendências de moda que se afastaram do vestuário desportivo – a venda de vestuário não desportivo cresceu 10%. Segundo o British Retail Consortium (BRC), as evidências do aumento de vendas associadas ao mundial são muitas, as projecções apontam para um valor de 1.250 Milhões de Libras gastos nos Reino Unido motivado pelo efeito do evento (em diversas categorias de produtos e serviços). Nas semanas que antecederam o mundial as vendas de artigos de vestuário desportivo (tais como as camisolas das selecções) mais que duplicaram. O director geral da BRC, Kevin Hawkins, afirma que «esperamos que o mundial contribua fortemente para o solidificar dos sinais de crescimento aparecidos nas últimas semanas e que nos indiciam que a confiança dos consumidores está a recuperar». Os padrões de compra no Reino Unido revestem-se de particular importância visto os adeptos britânicos serem os que mais gastam em merchandising desportivo (nomeadamente o relacionado com o futebol), segundo uma pesquisa realizada junto dos adeptos europeus. O referido estudo analisou os gastos dos adeptos em países como o Reino Unido, França, Itália, Espanha e Alemanha. Os gastos destes adeptos em merchandising relacionado com clubes de futebol atingiram os 4.700 Milhões de Libras (cerca de 6.900 Milhões de Euros) ao longo do último ano. Este valor é fortemente influenciado pelos gastos britânicos que gastam em média 126,6 libras em artigos tais como t-shirts e cachecóis dos seus clubes de eleição. Este estudo foi realizado junto de 3.000 adeptos que referiram que o futebol era uma actividade na qual estavam interessados ou muito interessados. Ainda segundo dados desse mesmo estudo os gastos neste tipo de artigo foram de 1.800 Milhões de Libras no Reino Unido seguidos por 1.200 Milhões de Libras gastos pelos adeptos da anfitriã do campeonato do mundo, a Alemanha. Pondo de parte todo o seu “amor à camisola”, os retalhistas esperam que as suas selecções continuem no torneio pelo maior tempo possível. As pesquisas realizadas mostraram que os gastos dos adeptos aumentam por cada semana adicional que as suas equipas permanecem no campeonato. Esperamos que os retalhistas britânicos aproveitem bem as suas vendas até ao próximo sábado.