Início Arquivo

Gap de novo na corrida

A norte-americana Gap, o maior retalhista de moda do Mundo, anunciou um aumento de 45% nos seus resultados líquidos do último trimestre de 2009. A melhoria de resultados ocorrida durante a época de Natal do ano passado foi registada de forma transversal a todas as divisões de negócio da empresa e motivou o anúncio de estimativas de resultados para 2010 acima das expectativas dos analistas. Segundo os responsáveis da Gap, os resultados agora divulgados ficaram a dever-se ao aumento das vendas motivado por uma melhor selecção dos artigos das suas colecções, quer em termos de qualidade de produto, quer em termos de uma maior adaptação aos seus segmentos-alvo de mercado. Nessa tendência de recuperação das vendas, o mês de Janeiro de 2010 apresentou um aumento de 5% nas vendas comparáveis da marca. Os resultados líquidos da Gap cresceram, assim, para os 352 milhões de dólares, mais 109 milhões de dólares do que no mesmo trimestre do ano anterior. As vendas no trimestre atingiram os 4 mil 240 milhões de dólares, o que significou um aumento de 160 milhões de dólares face ao período homólogo. As vendas comparáveis aumentaram 2% no trimestre, um valor que contrasta com a queda de 14% registada no trimestre anterior. Depois da reestruturação levada a cabo pela empresa americana, parece ter chegado o momento da Gap voltar a crescer. Assim sendo, nos novos planos está a abertura de uma loja numa das capitais mundiais da moda, Milão, demonstrando dessa forma que a confiança voltou ao maior retalhista de moda do Mundo após alguns anos de quedas constantes. A abertura de uma loja Gap em Milão, paredes-meias com uma nova loja de outra marca do grupo, a Banana Republic, será a primeira abertura em solo italiano, a que se seguirá um plano de expansão naquele mercado. Previstas estão já aberturas em diversas cidades italianas em 2011, onde se destacam as aberturas a realizar em Roma. Estas aberturas marcam o regresso do plano de expansão dos americanos no mercado europeu, onde estão presentes apenas no Reino Unido e em França, e depois de terem encerrado as suas lojas no mercado alemão em 2004. Paralelamente à expansão no mercado europeu, a Gap planeia abrir a sua primeira loja no mercado chinês durante 2011. Para além disso, a empresa irá lançar no mercado europeu a sua operação de comércio electrónico que terá a sua logística e distribuição centralizada no Reino Unido. Glenn Murphy, presidente-executivo da Gap desde 2007, tem focalizado os esforços da empresa no desenvolvimento da sua presença internacional, principalmente através de acordos de franchising, com cerca de 130 lojas instaladas no Médio Oriente, Sudoeste Asiático e Rússia.