Início Notícias Retalho

Grandes armazéns em mudança

O sector dos grandes armazéns vivencia um período de dinamismo à escala global, pautado pela inauguração e renovação de diversos espaços comerciais, que estimulam a emergência de tendências inovadoras.

Foco no luxo

Os grandes armazéns estão a apostar na renovação dos seus espaços de forma a incorporarem boutiques independentes, que sejam apelativas aos consumidores de artigos de luxo. Esta iniciativa pretende que as marcas disponibilizem uma oferta mais vasta de produtos, num espaço íntimo e luxuoso, que reflita a identidade da casa.

A Lane Crawford aderiu a esta iniciativa, renovando inteiramente a sua loja localizada no centro-comercial IFC Mall, em Hong Kong. O espaço de 500 metros quadrados foi reestruturado em quatro divisões, cada uma delas dotada de uma abordagem diferente, apresentando uma ampla coleção de moda e joias femininas de designers de topo, a par de obras de arte selecionadas.

Os grandes armazéns Harrods lançaram um novo piso, denominado Superbrands, sedimentando a sua posição entre os espaços comerciais mais luxuosos do mundo. A superfície inclui 16 novas boutiques independentes das principais marcas presentes em loja, cada uma decorada de forma distinta. Entre elas, destaca-se o maior espaço do género da casa Chanel e o primeiro espaço de retalho da marca de alta-costura Ralph & Russo.

Os grandes armazéns mexicanos El Palacio de Hierro remodelaram integralmente a sua flagship da Polanco, focando-se no conceito de luxo. Com inauguração prevista para novembro, a loja, que triplicou de tamanho, expandirá a oferta de luxo, com boutiques dispostas ao longo de três andares, entre as quais se destacam marcas de reconhecimento mundial, como a casa de moda italiana Gucci.

De olho no segmento masculino

Os grandes armazéns valorizam, cada vez mais, o segmento masculino, apostando na renovação dos seus espaços e integração de marcas e serviços que apelem a esta base crescente de consumidores.

Os grandes armazéns dinamarqueses Magasin du Nord inauguraram um novo espaço dedicado à moda masculina na sua loja principal em Copenhaga, que pretende ser um novo destino no roteiro da moda de luxo masculina, incluindo marcas conceituadas e uma abordagem minimalista e contemporânea de design.

O Harrods tem investido na reformulação do seu departamento de moda masculina desde o ano passado, com o lançamento de boutiques de marcas de luxo, como Fendi e Valentino, e a incorporação de marcas emergentes, como Tomas Maier, à sua oferta contemporânea, a par da inauguração de uma Galeria do Denim, destinada ao público masculino.

Os grandes armazéns parisienses BHV Marais estenderam a sua área em quase 900 metros quadrados, a fim de incluírem reputadas boutiques como Fendi, Givenchy, Gucci, Valentino e Moncler, criando um novo núcleo de moda masculina. Paralelamente, o Printemps acaba de anunciar o encerramento de quatro pisos da sua principal localização parisiense para o próximo ano, com o objetivo transformar o edifício num «templo dedicado à moda masculina».

Serviços de lifestyle e hospitalidade

Complementando a introdução de marcas e linhas exclusivas, os retalhistas apostam atualmente na oferta de serviços de lifestyle, que permitem aumentar o tráfego em loja, assim como o tempo de permanência e fidelidade do cliente e que, principalmente, não podem ser replicados no segmento digital .

A nova localização da Nordstrom, em Vancouver, é um exemplo disso mesmo, incluindo uma loja de costura, espaço destinado ao engraxamento de sapatos, vários bares e restaurantes, um serviço de concierge permanente e entrega gratuita no centro da cidade. De igual forma, a recém-renovada loja Harvey Nichols, na cidade britânica de Birmingham, disponibiliza serviços de concierge, como estacionamento e bengaleiro, a par de assistência de compras, tratamentos de beleza e um restaurante e bar de cocktails. A John Lewis inaugurou recentemente a sua mais inovadora loja até ao momento, também em Birmingham, que inclui o serviço &Beauty, o primeiro spa da marca John Lewis.

Os espaços de refeições são cada vez mais populares nos grandes armazéns. A flagship da Macy’s, em Nova Iorque, expandiu a oferta alimentar, incluindo um serviço completo de restaurante italiano e vários Starbucks. A cadeia de restaurantes e lojas de produtos alimentares italianos Eataly planeia inaugurar o primeiro espaço londrino em setembro de 2016, numa parceria com os grandes armazéns Selfridges. Em 2018, irá inaugurar a primeira flagship em Paris, no espaço BHV Marais, em parceria com o grupo Galeries Lafayette.

Novos conceitos de nicho

Integrado no seu plano de renovação de quatro anos, cujo investimento ascende aos 400 milhões de dólares, os grandes armazéns Macy’s inauguraram um novo espaço dedicado aos consumidores mais jovens, que pretende atrair este público emergente. Este piso, localizado no subsolo da sua principal loja nova-iorquina, combina a tecnologia com a moda e espaços de restauração, cativando os jovens consumidores que procuram novas experiências. A introdução de serviços de customização, como disponibilizados na loja de tecnologia wearable, uma área de impressão a três dimensões, uma cabina de fotografias interativa e um espaço de criação do próprio relógio pretendem fazer corresponder o espaço aos interesses e ambições do cliente mais jovem. As marcas e produtos disponíveis estão especialmente focados no segmento de vestuário desportivo, denim e acessórios contemporâneos.

Os grandes armazéns Bergdorf Goodman renovaram um dos pisos da sua loja, dedicando-o aos designers contemporâneos emergentes. Denominado de piso “Modernista”, este novo espaço inclui um laboratório de design, destinado a talentos emergentes, que abarca marcas como Thakoon e Adam Lippes.

No mesmo contexto, a John Lewis prepara-se para lançar o conceito “Found”, nas suas lojas britânicas, especializado em marcas de nicho contemporâneas. Esta iniciativa reúne 30 marcas, entre as quais Samsøe & Samsøe, no segmento de vestuário feminino, Tom Dixon, em equipamentos para a casa, e Maison Margiela, no segmento de beleza. O espaço será renovado a cada seis semanas e utilizado na disposição de instalações e pop-ups de marcas.

Tecnologia em loja

A tecnologia está cada vez mais presente nos espaços de retalho dos grandes armazéns, sob a forma de expositores digitais e dispositivos dotados de ecrã tátil, contribuindo não só para um maior envolvimento dos consumidores em loja, mas também auxiliando-os na pesquisa de produtos no exterior da loja, integrando assim a experiência on-line e física.

Os grandes armazéns Harvey Nichols reabriram a loja em Birmingham, no Reino Unido, depois de uma ampla renovação, apostando num design que integra tecnologia de ponta. Na entrada da loja existe um túnel imersivo de ecrãs LED, que apresentam imagens da natureza, como pastos solarengos e folhas outonais. Nos provadores estão disponíveis espelhos de 360º, que permitem ao consumidor gravar a sua imagem em vídeo, de diferentes ângulos, replicá-la e partilhá-la nos meios sociais. Paralelamente, não existem caixas de pagamento. O staff, equipado com um iPad, recebe os pagamentos em qualquer ponto da loja.

Os armazéns britânicos House of Fraser lançaram, recentemente, um catálogo interativo, que utiliza tecnologia de realidade aumentada. Um sensor, gerado por computador, com recurso a modelos 3D e vídeos, apresenta a gama de produtos disponível em loja, no aplicativo concebido para iPhone e iPad. Os utilizadores podem consultar o catálogo e digitalizar páginas, assim como aceder a conteúdos interativos, entre os quais vídeos tutoriais, recomendações de produtos em 3D e receitas.