Início Notícias Moda

Hala Madrid!

No Estádio Santiago Barnabéu, em dia de jogo, os adeptos madrilenos não se cansam de cantar “Hala Madrid!” para incentivar o melhor jogador do mundo e os colegas no relvado. No próximo dia 9 de fevereiro, contudo, os aplausos em Madrid serão dirigidos aos “craques” portugueses da moda. Na edição em que a passerelle Cibeles, atual Mercedes-Benz Fashion Week Madrid, celebra 30 anos de existência, Portugal é o país convidado, com um desfile protagonizado pelas coleções para o outono-inverno 2015/2016 de Anabela Baldaque, Júlio Torcato e Miguel Vieira. «No sector da indústria têxtil e de vestuário, há já um vasto historial de fornecimento e de outras parcerias profissionais entre Portugal e Espanha, facto que, aliado à proximidade geográfica e linguística, atenua barreiras à entrada no mercado e justifica um investimento reforçado. O Portugal Fashion pretende, deste modo, consolidar a imagem de um país tradicionalmente confecionador, que revela agora potencial e capacidade enquanto país de criação», justifica João Rafael Koehler, presidente da direção da Anje e da direção do Portugal Fashion, que apoia esta presença em Madrid. Esta ligação da moda portuguesa a Espanha, de resto, tem já raízes, como explica Anabela Baldaque que, apesar de estar, pela primeira vez, num desfile no país vizinho, tem já uma relação importante com o mercado. «Há pouquíssimo tempo vesti a nora do Ministro da Economia, que sei que vai estar no desfile», revela a criadora à fashionup.pt. Ainda assim, Anabela Baldaque, que em novembro abriu a sua primeira loja em Lisboa, no Príncipe Real, confessa estar «tensa» com esta apresentação, sobretudo por ter de contar a história de “Hora do Chá”, o nome da sua nova coleção, com menos coordenados do que o habitual. «Vai-me custar muito fazer uma história com cabeça, tronco e membros só com 20 coordenados e 16 manequins», aponta, embora entusiasmada com o novo desafio. Sob a história da “Hora do Chᔠ– que a criadora mostrou em antestreia no seu atelier no Porto à fashionup.pt – estarão em destaque cachecóis-camisa (um acessório que promete marcar pela originalidade), capas e casacos compridos, que criam uma coleção, como é apanágio de Baldaque, ao mesmo tempo feminina, sobretudo pelos tons como o amarelo, as texturas e os padrões selecionados, mas com um lado mais rock n’roll e masculino, transmitido por tecidos mais compactos. Outro estreante é Júlio Torcato, que na capital espanhola irá mostrar “Two (2) Collection”, construída a partir da oposição de conceitos aparentemente antagónicos. «É uma coleção sobre nós e o outro, sobre diferenças que aproximam como uma energia (positiva/negativa) que associa conceitos aparentemente antagónicos: claro/ escuro, tradição/ modernidade, clássico/ street», explica. Entre as peças-chave para o homem do outono-inverno 2015/2016 estão as calças curtas e os casacos compridos, com pelos falsos, veludos e peles, em que «riscas e xadrezes fazem silhuetas contemporâneas e reforçam o look e statement da coleção». Ao contrário de Anabela Baldaque e de Júlio Torcato, para Miguel Vieira a passerelle de Madrid é um regresso a um lugar onde já foi feliz, contrariando o conselho dado por Rui Veloso e Carlos Tê, já que o designer de S. João da Madeira esteve na Cibeles em 2003. Para a próxima estação fria, a coleção é «minimalista e luxuosa, onde a inspiração vem dos próprios tecidos e outros materiais e do seu processo de implementação», desvenda Miguel Vieira, com peças de base artesanal «para homens e mulheres com forte carácter, onde o luxo e a perfeição devem estar sempre presentes». O bege café com leite, o bordeaux vinho, o castanho licor de café, o azul Limoges e o preto carvão vegetal são os tons dominantes.