Início Destaques

Heimtextil faz 50 anos

A próxima feira de têxteis-lar em Frankfurt, que se realiza de 7 a 10 de janeiro de 2020, será de festa. Na celebração da 50.ª edição, a Heimtextil deverá contar com cerca de 3.000 expositores de todo o mundo, que se poderão inspirar nas tendências apresentadas recentemente pelo Trend Council, sob o tema “Where I belong”.

«50 edições ao longo das últimas cinco décadas são um fenómeno raramente experienciado na indústria em rápida mudança das feiras profissionais e são quase uma eternidade», afirma Detlef Braun, CEO da Messe Frankfurt. «Diferente de todas as outras feiras, a Heimtextil representa variedade de produto, influência internacional e liderança indiscutível do mercado no sector têxtil. Enquanto feira de design, reinventa-se constantemente, continua a apresentar as tendências mais recentes para a casa como sempre fez e torna as tendências de decoração de amanhã tangíveis», explica.

Para celebrar este feito, a Messe Frankfurt está a preparar uma festa no dia 8 de janeiro, que pretende juntar expositores e visitantes e onde será mostrado um filme com as imagens de cinco décadas da feira. No hall 9.0 será ainda possível conhecer alguns dos designs clássicos dos últimos 50 anos, numa exposição especial que tem por base editoriais de revistas de interiores.

Apesar de reconhecer um «período desafiante» no mercado alemão, a Messe Frankfurt não espera uma quebra nos números de expositores, que deverão rondar os 3.000 (em janeiro de 2019 foram 2.714), antecipando igualmente que a tendência positiva no número de visitantes estrangeiros se mantenha. «Tal como antes, estamos a registar um crescimento de outros países na Europa e fora. Os produtores internacionais confiam na Heimtextil como uma plataforma atrativa para o negócio de exportação e um evento de lançamento de tendências onde podem apresentar os produtos para a nova estação no início do ano», revela Olaf Schmidt, vice-presidente de têxteis e tecnologias têxteis da Messe Frankfurt.

Em relação à organização da feira, não haverá muitas novidades, mantendo-se, no geral, o mesmo layout da última edição, onde a grande maioria dos expositores portugueses se encontra no hall 12.1, juntamente com os produtores turcos.

Tendências regressam às origens

“Where I belong” é o tema das tendências para 2020/2021, organizadas pelo Trend Council da Heimtextil. «As identidades são formadas e moldadas por experiências que têm lugar ao mesmo tempo em níveis diferentes, local, nacional e globalmente, tanto online como offline. A identidade pode, por isso, consistir em muitas camadas diferentes – todos temos identidades multicamada», justificou Anne Marie Commandeur, fundadora e diretora do Stijlinstituut Amsterdam – que lidera o Trend Council este ano – durante a primeira apresentação das tendências da Heimtextil, que teve lugar no Laboratório Têxtil do Museu Têxtil de Tilburg, na Holanda. «Por isso, optámos por mais diversidade, pensámos que é muito importante que as pessoas sejam capazes de fazer a curadoria das suas próprias casas de forma a criar a sua identidade, reinventar a sua envolvente e proporcionar ambientes que fomentem a sensação de pertença», acrescentou.

Como tal, o tema assume cinco direções: Maximum Glam, Pure Spiritual, Active Urban, Heritage Lux e Multi-Local.

Maximum Glam

Maximum Glam

Maximum Glam combina as influências teatrais e glamorosas da estética do mundo do espetáculo, construíndo pontes entre o manual e o digital. Os têxteis revelam uma atitude “mais é mais”, através de uma mistura de brilho, gradientes e espectros, pelos falsos, franjas, ondas de jacquard e estampados arrojados. A paleta de cores é ousada e kitsch, com um brilho elétrico e sintético.

Pure Spiritual

Já Pure Spiritual dirige-se aos idealistas que procuram perfeição e pureza, restaurando o equilíbrio numa ligação ao natural. Abraçam a tecnologia para o bem, ao mesmo tempo que transitam entre o realismo e o misticismo na busca por um céu pessoal. Para responder a um renovado laço com a natureza, são selecionados materiais orgânicos e matérias-primas e têxteis puros, que mostram os traços da natureza, estruturas orgânicas e irregularidades. As cores são desenvolvidas a partir da terra e cultivadas pelo homem.

Active Urban

Active Urban

Em Active Urban, os residentes urbanos confrontam os desafios de um ambiente em rápida mudança ao procurarem soluções utilitárias e adaptáveis. Valorizam a performance tecnológica ao mesmo tempo que fazem uma utilização inteligente dos recursos disponíveis e renováveis. A funcionalidade tem prioridade, mas a beleza continua a ser essencial.

Os têxteis híbridos para interiores e sportswear revelam superfícies macias e uma mistura divertida de texturas gráficas. A paleta de cores compõe-se pelo azul uniforme, o cinzento asfalto e o amarelo lagarta.

Heritage Lux

Por seu lado, Heritage Lux preserva o legado histórico de volúpia juntamente com o estranho, o conhecimento com o desconhecimento, para uma nova experiência emergente. Esta nova narrativa traduz-se numa paixão pelo luxo e pelo esplendor, pela decoração e embelezamento. Encontrar a beleza na história e na natureza através de padrões ornamentais e melhorias nas superfícies. A reflexão na história antiga resulta numa paleta de enigmáticos vermelho-sangue, safira e madrepérola.

Multi-Local

Multi-Local

Por último, Multi-Local descreve os híper-locais a tornarem-se globais, celebrando a inclusividade em vez da apropriação, honrando o artesanato tradicional e ajustando o olhar sobre o mundo para abraçar as trocas, a integridade criativa e diversas identidades.

O estilo indígena encontra-se com as influências mundiais. É uma celebração dos padrões decorativos, desde os tribais e folclóricos aos geométricos e abstratos. As cores tornam-se parte de uma narrativa cultural mais vasta, ligada à comunidade local, à herança cultural e à identidade.