Início Arquivo

Hermès distancia-se da LVMH

Depois da Hermès criar a empresa holding, que irá controlar mais de 50,2% do seu património, a LVMH – que no ano passado adquiriu sorrateiramente 17% da Hermès – terá de enfrentar sérios obstáculos para ganhar o controlo desta marca de bolsas de couro cujo preço ascende, em média, a 7.500 euros. «A criação desta empresa (a holding da família) (…) vai reforçar de forma duradoura a independência do grupo Hermès», referiram em comunicado os accionistas da família Hermès. Oficialmente, a LVMH divulgou que não planeava apresentar uma oferta pela Hermès, mas tem vindo a elevar a sua participação, tendo aumentado dos 17% que possuía em Outubro de 2010 para os actuais 22% e não faz segredo da intenção de querer comprar mais acções. A Hermès, que vê a entrada da LVMH no seu capital social como hostil, planeia criar a holding antes do final do ano. A nova entidade vai reunir mais de 100 accionistas da família Hermès e associados. Além das acções, que totalizam 50,2% do capital, a holding terá direito de preferência sobre acções representativas de 12,6% do capital. Apenas um terço dos membros da holding poderá vender as suas acções a partir de 2031. Investidores familiares com cerca de 10% da empresa, incluindo Nicolas Puech, o maior accionista da Hermès com 6%, e o irmão Bertrand Puech, não estão inseridos na holding familiar.