Início Arquivo

H&M de volta à linha básica

A Hennes & Mauritz volta este ano à linha de vestuário básica, dando ênfase à sua marca registada de um look minimalista preto, e provando também que «aprendeu a lição» depois do desastre do ano passado, quando tentou entrar no mercado com roupa mais colorida e vanguardista. Esta decisão ficou cara para o retalhista sueco, com a parte principal da sua clientela- que se situa nos trinta anos- a desertar e a procurar marcas mais sóbrias. Com lojas em 14 países, o retalhista viu as suas vendas e lucros baixarem, sendo obrigado a escoar o excedente de stocks a baixos preços. No entanto, a H&M reagiu rapidamente tendo-se centrado no que os clientes querem. Esta estratégia fez com que os resultados do segundo trimestre da empresa melhorassem, tendo as vendas subido cerca de 31%. No entanto, o retalhista tem ainda muito a aprender com a continuação da sua expansão nos Estados Unidos da América e em Espanha. «O segmento de alta gama na moda é muito similar em todos os países, mas no que diz respeito ao vestuário básico, apercebemo-nos que não estamos a vender os mesmo tipo de artigos na Alemanha, nos Estado Unidos ou na Inglaterra,» afirma Karl-Gunnar Fagerlin, director global da H&M. Nos Estados Unidos, onde a H&M tem 21 lojas, e com mais 10 lojas para abrir nos próximos seis meses e 20 a 25 aberturas planeadas para o próximo ano, continuam as preocupações sobre os custos deste mercado e medidas agressivas da expansão.