Início Notícias Tecnologia

Homem chega à Springkode

A Springkode, que se destaca por trabalhar diretamente com as fábricas para oferecer online produtos com a mesma qualidade de marcas internacionais mas a preços mais baixos, acaba de juntar peças de moda masculina à sua oferta. António Manuel de Sousa, Marfel, Cotton Paradise, Lagofra e Tiva são as fornecedoras já na lista.

Reinaldo Moreira

A plataforma, que ficou online em setembro do ano passado, apresenta, a partir de amanhã, dia 19, oferta para o público masculino. T-shirts, camisas, casacos, sweaters, calções, gravatas, lenços e laços fazem parte das propostas, que foram elaboradas pelos parceiros António Manuel de Sousa, Marfel, Cotton Paradise – que se estreiam com peças para o sexo masculino –, Lagrofa e Tiva.

O anúncio tinha já sido deixado por Reinaldo Moreira em entrevista ao Jornal Têxtil, na edição de junho. «Queremos abrir homem e vamos fazê-lo a breve prazo», afirmou o diretor-geral e fundador da Springkode, revelando ainda que «queremos abrir também calçado e bijuteria. Pode não ser este ano mas está igualmente no horizonte completarmos a oferta, porque achamos que são produtos complementares à roupa».

As peças à venda na plataforma são criações originais das equipas de design das fábricas parceiras da plataforma e produzidas com os tecidos e malhas de luxo excedentes das produções das grandes marcas de moda mundiais, que recorrem à confeção lusa.

«As fábricas portuguesas têm imensa qualidade, estão próximas e acessíveis, mas as pessoas não se relacionam com elas. Queremos mudar esse comportamento e mostrar que é possível comprar moda de qualidade, exclusiva, sustentável e a preços acessíveis», explicou Reinaldo Moreira.

Marta Cyrne Carvalho e Mariana Machado na Irmãos Rodrigues

Para aproximar os consumidores das empresas, a Springkode convidou recentemente as bloggers Mariana Machado e Marta Cyrne Carvalho a visitarem a empresa Irmãos Rodrigues, em Barcelos, para conhecerem o processo produtivo de uma peça de vestuário, desde o conceito criativo à entrega do produto, passando pela escolha dos materiais e a confeção. «Hoje vi como a paixão pela moda, o trabalho de equipa e a criatividade fazem nascer produtos únicos e experiências inesquecíveis», descreveu Mariana Machado, autora do blogue Double Trouble, que tem 84,2 mil seguidores no Instagram.

Mariana Machado e Marta Cyrne Carvalho, que junta 31,6 mil seguidores, foram ainda convidadas a desenhar uma peça de vestuário, que estará à venda na Springkode em setembro.

Incubar o crescimento

Além de Portugal, que representa 85% do negócio, a Springkode já concretizou várias vendas para outros mercados, nomeadamente Espanha, França, Reino Unido, Grécia, Letónia e EUA. Até dezembro de 2019, a Springkode espera atingir 350 mil euros de volume de negócios e contar com 1.000 visitas diárias ao site. «Queremos chegar ao final do ano com 10 parceiros, com senhora devidamente consolidada, com homem já lançado e também atingir uma fase de estabilização em termos de oferta, coerência, quantidade e diversidade», resumiu Reinaldo Moreira.

A plataforma, fundada em abril de 2018, nasceu com financiamento próprio, com expectativas de investimento de cerca de 1,1 milhões de euros até ao break-even. Em maio, a Springkode foi selecionada para o programa de aceleração de impacto social da Fundação Calouste Gulbenkian, Maze X, pensado para apoiar as novas empresas de base tecnológica que resolvam desafios sociais e ambientais através dos seus negócios. As atividades da Maze X começaram a 13 de maio e prolongam-se por três meses. Para suportar as despesas, as empresas selecionadas irão receber até 12.500 euros em dinheiro e sem ceder qualquer participação acionista – após o término do programa poderão beneficiar de seis meses de acompanhamento e de incubação.