Início Arquivo

Homenagens mais que dignas…

HÁ pessoas que nunca morrem». Esta poderia muito bem ser a temÁtica das recentes homenagens que pretendem recordar dois dos maiores criadores de moda mundiais dos últimos tempos. O primeiro homenageado serÁ Gianfranco Ferré através do livro Gianfranco Ferré – L’architetto stilista», da autoria de Maria Vittoria Alfonsini, no qual a escritora descreve a raiva e grande generosidade, timidez e impetuosidade, discrição e feroz ironia, a paixão pelas viagens, pelas casas, pela arte e pela gastronomia (com direito a revelar o menu e as suas receitas preferidas) e sobretudo o grande amor pela família e pelo trabalho». “Gianfranco Ferré – L’architetto stilista” reúne ainda entrevistas com as pessoas que foram mais próximas ao estilista, como é o caso de Rita Airaghi, sua sobrinha e também seu braço direito; assim como de colegas de profissão como Giorgio Armani e amigos como Gino Paoli, Beppe Modenese e Barbara Vitti. Não faltam também lembranças de manequins que tiveram a oportunidade de passar alguns dos seus modelos mais emblemÁticos pelas passerelles, como por exemplo Carla Bruni, a actual primeira-dama de França; e a top model Eva Riccobono. O livro apresenta igualmente testemunhos directos da sua autora, que acompanhou todo o percurso de Ferré no mundo da moda. De igual forma e no ano em que celebraria o seu 125° aniversÁrio, Coco Chanel é também digna de merecidas homenagens, que a relegam ao estatuto de uma das estilistas mais inspiradoras e influentes de sempre no cenÁrio da moda mundial. A começar pelos filmes biogrÁficos produzidos tanto para televisão como para o cinema, assim como pela longa-metragem “Coco Avant Chanel”, em produção, a estilista e o seu legado continuam a ser relembrados. Agora chegou a vez de uma nova curta-metragem, denominada “Chanel Paris-Moscou”, com produção de Karl Lagerfeld, actual director de criação da marca Chanel. Este ano, toda a gente resolveu fazer um filme sobre a Chanel», afirmou em tom de brincadeira Lagerfeld, acrescentando ainda que decidi criar uma obra muito própria, apostando num filme com humor e sem pretensões». A primeira parte de “Chanel Paris-Moscou” retrata o ano de 1913 – no começo da carreira da estilista – quando Coco Chanel abriu sua primeira loja. JÁ a segunda parte da curta-metragem passa-se durante a primeira guerra mundial – no ano de 1923 – e relata o romance da estilista com o Grand Duke Dmitri Pavlovich. O filme foi rodado ao estilo do cinema mudo, totalmente a preto e branco, e tem a duração mÁxima de 10 minutos. Relativamente ao elenco, Lagerfeld escolheu e apostou em amigos como Brad Koening e Edita Vilkeviciute – dois dos seus modelos preferidos –, no seu secretÁrio e segurança Sébastien Jondeau e nas musas Amanda Harlech e Tallulah Ormsby-Gore.