Início Notícias Moda

Homens encenam inverno em Paris

Da extravagância da Hermès à normalidade da Vetements, passando pelo acampamento de Thom Browne e pelo punk de Hugo Costa, a recente edição da semana de moda masculina de Paris parece ter-se rendido à teatralidade.

Hermès

Terminada a temporada de desfiles dedicados ao outono-inverno 2018/2019 no guarda-roupa masculino, começam já a alinhar-se as tendências-chave da estação. O jornal The Guardian resumiu, a propósito, os alinhamentos mais memoráveis da semana de moda masculina de Paris e o Portugal Têxtil adicionou à lista a apresentação de Hugo Costa na Cidade-luz.

Lanvin deixa nota

Lanvin

O desfile da Lanvin deixou um conselho aos amantes de moda: chegou a hora de trocar o sportswear pela alfaiataria.

O fato foi omnipresente na mostra da marca dedicada à próxima estação fria e elevado ao estatuto de camuflado moderno. As parkas foram trabalhadas em tecidos clássicos de alfaiataria e as camisas estampadas com motivos da floresta foram apenas a primeira das muitas camadas dos coordenados.

Lemaire de lã

Lemaire

As lãs em diferentes tons de castanho intersetaram toda a coleção da Lemaire. A cor ficou circunscrita às golas altas – pintadas de rosa.

As calças eram de cintura subida e fitting largo e todas as propostas foram pautadas pelo minimalismo.

O calor da Hermès

Hermès

A marca fez subir as temperaturas com uma passerelle encenada entre pequenas fogueiras.

O desfile da Hermès, que tomou conta de um antigo mosteiro, apresentou coordenados fieis a uma paleta terrena, com particular destaque para as malhas e para o outerwear leve.

Thom Browne monta tenda

Thom Browne

A Thom Browne acampou em Paris num desfile que teve modelos deitados em sacos cama, uma passerelle coberta de neve e homens de branco que vestiram vestidos sobrepostos a calças.

Sobretudos acolchoados, capas com pelo e fatos que lembraram as tradicionais camisolas natalícias estiveram em destaque nas propostas.

Vetements em pulgas

Vetements

Camadas sem fim aconchegaram os modelos da Vetements. O trivial tomou conta da passerelle, mas com o devido twist. Gabardinas usadas do avesso, camisas xadrez combinadas com quimonos florais, várias t-shirts básicas sobrepostas e, no meio, uma homenagem a Martin Margiela – com uma cópia das famosas botas Tabi.

O desfile foi apelidado pelos portais da especialidade de “mercado de pulgas da Vetements”.

Rick Owens

A monocromia de Rick Owens

A monocromia em tons vinho, verde, creme e preto dominou a passerelle de Rick Owens, que explorou silhuetas casulo e coordenados desconstruídos que exalavam conforto.

Crianças com Acne

Acne

O fundador da Acne, Jonny Johansson, pediu a várias crianças que desenhassem roupas e usou os seus esboços como ponto de partida para a coleção masculina outono-inverno 2018/2019 da marca.

Os resultados incluíram malhas com linhas onduladas, em amarelo e azul, e motivos como foguetões e planetas.

O punk de Hugo Costa

«O punk não morreu. O punk está vivo, foi apenas transformado. Ou desconstruído. Mas continua a ser punk, o movimento de aparência agressiva, sarcástico, de contracultura e reação», elucidou o designer português sobre a inspiração da coleção dedicada à próxima estação fria.

Hugo Costa

Presente na semana da moda masculina de Paris desde junho de 2016, Hugo Costa voltou a contornar o desfile e apresentou a coleção entre cabos elétricos, ecrãs, tubos metálicos e lâmpadas florescentes. Nos coordenados, que permanecem fieis à silhueta agender, destacou-se o jogo de sobreposições, a alfaiataria intervencionada pelas ruas e, na paleta, o rosa, roxo e azul. O designer português desenhou ainda três modelos de calçado para o outono-inverno 2018/2019.