Início Arquivo

Humidade gera negócio

De acordo com o último relatório da publicação "Performance Apparel Markets", a gestão da humidade é um dos critérios chave da performance na indústria do vestuário actual, sendo definida como a capacidade de um artigo de vestuário transportar a humidade da pele para o exterior do mesmo.Este feito evita que a transpiração permaneça junto à pele. Sob acção do calor, esta humidade pode conduzir à fadiga ou diminuir o desempenho; enquanto que sob o efeito do frio, a humidade induz a diminuição da temperatura, provocando calafrios e hipotermia. Humidade em excesso pode ainda tornar o tecido mais pesado, assim como provocar irritação da pele. Qualquer peça de vestuário que seja usada junto à pele ou durante a prática de exercício deve possuir propriedades de gestão da humidade.A gama de aplicações destes tecidos continua a expandir-se à medida que é lançada no mercado nova tecnologia de tecido. Para além do sportswear e do activewear, observa-se um interesse crescente nos tecidos com gestão de humidade por parte do mercado do vestuário retardador de chama. Acção de capilaridadeA humidade é transportada dos têxteis através de uma acção de capilaridade. Nos têxteis, o espaço entre as fibras forma tubos que actuam como capilares e transportam os líquidos para o exterior. Regra geral, quanto mais reduzidos forem os espaços entre fibras num tecido, mais efectivamente permitirão o transporte da humidade. Deste modo, os tecidos com muitos capilares estreitos, como aqueles com microfibras, são ideais para o transporte da humidade. Outro factor que afecta a gestão da humidade é a absorvência. Embora uma maior absorvência incremente a capacidade de transporte da humidade da pele para o tecido, a tendência das fibras absorventes para reter essa humidade afecta os níveis de conforto à medida que o tecido fica saturado.Foi demonstrado que os tecidos que expelem rapidamente a humidade através do tecido com baixa absorção de água ajudam a regular a temperatura corporal, a melhorar a performance muscular e a retardar o cansaço.Em geral, os tecidos com uma gestão de humidade mais efectiva são os tecidos sintéticos produzidos a partir de microfibras de poliamida ou poliéster. Estes tecidos são leves, capazes de transportar eficazmente a humidade e de secar rapidamente.A capacidade de gestão da humidade pode ser melhorada através de certos processos de acabamento, variando a construção da fibra ou do tecido ou utilizando uma mistura de fibras. Os tecidos "push-pull" – materiais bicomponentes compostos por material não-absorvente no interior e material absorvente no exterior – provaram ter uma construção efectiva para a gestão da humidade. Isto deve-se ao facto do material absorvente do exterior retirar a humidade da pele enquanto que o material não-absorvente conserva a pele seca.Produtores-chaveEm termos de produtores-chave, um dos principais líderes no fabrico de materiais à base de poliéster com propriedades de gestão de humidade é a Invista. As marcas Coolmax e Thermolite da Invista são aplicadas numa vasta gama de artigos de vestuário desportivo e exterior. No entanto, o ritmo dos desenvolvimentos acelerou nos últimos dez anos e um número crescente de empresas competem actualmente com estas marcas. Nomes bem conhecidos neste campo incluem a American Fibers and Yarn, Comfort Technologies, Hind, Honeywell, Intera, Intex, Lenzing, Marmot, Milliken, Mitsui, Nano-Tex, Nike, Patagonia, Pearl Izumi, Polartec, Reebok, Rhovyl, Schoeller, Tomen, USA-Pro e Wellman. A quantidade de tecidos à base de poliéster e com capacidade de gestão da humidade existente no mercado também aumentou drasticamente nos últimos anos, incluindo actualmente a Capilene da Patagonia e o Power Dry da Polartec.Neste âmbito, a área das nanofibras promete revolucionar o mercado dos materiais com gestão da humidade. Além do mais, a próxima geração de têxteis inteligentes poderá originar tecidos capazes de responder às alterações ambientais mediante a regulação do tamanho dos poros ou da espessura de forma a facilitar o transporte da humidade.