Início Notícias Têxtil

Hyosung investe 100 milhões na fibra Creora

O grupo de origem sul-coreana Hyosung, que detém a marca Creora, anunciou recentemente os seus planos para a construção de uma nova unidade produtiva de elastano, desta vez no estado de Maharashtra, na Índia.

Com este investimento de 100 milhões de dólares (aproximadamente 82,3 milhões de euros), o objetivo do Hyosung é expandir em 70% a sua quota de mercado de elastano em território indiano.

De acordo com um comunicado do grupo de origem sul-coreana, o mercado indiano de elastano registou uma taxa de crescimento anual superior a 16% entre 2012 e 2017, estimando-se assim um crescimento de 12% até 2020, números que entusiasmam o Hyosung no âmbito do seu plano de expansão para a sua marca Creora.

Maharashtra é considerada uma região de grande impacto a nível têxtil na Índia, sendo que a nova fábrica terá também um grande impacto na região com o fomento do emprego.

«A Índia é um dos maiores mercados têxteis do mundo e prevemos um grande crescimento do seu consumo interno. Com o total apoio do governo indiano na criação da nova unidade produtiva esperamos um crescimento paralelo à economia indiana», afirmou presidente do Hyosung, Hyung Joon Cho, durante uma reunião com o Primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.

Gama reforçada

O Hyosung tem vindo a aumentar o leque de propriedades da gama Creora, com a fibra de elastano a ganhar especificidades como a neutralização de odores.

No verão passado, o Hyosung estabeleceu uma parceria com a especialista em tricotagem Sofileta para uma nova coleção de malhas para roupa interior e sportswear que incorpora tecnologias que neutralizam os maus odores (ver Creora acelera produção).

A nova coleção incorpora a tecnologia Creora Fresh do Hyosung para eliminar as fontes de odor corporal através de ligações químicas e permanentes nas fibras. «Estamos empenhados em aproveitar as nossas capacidades técnicas para servir as necessidades dos clientes na moda com mais performance», explicou, à data do anúncio, Dominique Heuillard, diretor de inovação da Sofileta. «A nossa especialidade é customizar as malhas para as necessidades de aplicação para utilizações específicas. A Creora Fresh permite-nos acrescentar mais um elemento de performance para roupa interior e sportswear», revelou.

A Sofileta faz parte de um grupo familiar com valências não só na tricotagem, mas também na tecelagem, tingimento, acabamentos e laminagem (ver Hyosung faz parceria para a Creora Fresh).

Em outubro, o Hyosung estabeleceu uma parceria com a empresa turca Bossa para desenvolver uma coleção de denim bi-elástico incorporando a tecnologia patenteada (ver Creora une Hyosung à Bossa).

A coleção Xplay integra Creora Fit2, uma tecnologia que confere ao fio Creora uma elasticidade de 360º, proporcionando um fit mais justo e atraente, adiantou o Hyosung. «Desenvolvemos o Creora Fit2 para responder às necessidades do consumidor, que procura um ajuste e uma silhueta melhorados», elucidou David Jang, diretor de marketing da Creora para denim.

A Bossa é uma das maiores empresas têxteis verticais na Turquia, com instalações produtivas em Adana. A unidade têxtil oferece artigos e serviços nas áreas da fiação, tecelagem, tingimento e acabamentos de denim.

Novo diretor

À margem da investida indiana, o grupo Hyosung anunciou também a nomeação de Simon Whitmarsh-Knight como novo diretor de marketing para a região EMEA (Europa, Médio Oriente e África).

Simon Whitmarsh-Knight tem uma experiência de mais de 25 anos nos departamentos de venda e marketing na indústria têxtil e vestuário, em empresas como a Hackett, a Mitre e a Invista.

No Hyosung será responsável pelo desenvolvimento do departamento de marketing e pela promoção das especialidades no mercado das marcas e distribuição, incluindo o elastano Creora e a poliamida Mipan.

«É um excelente momento para poder trabalhar com o líder industrial – Hyosung – e estou ansioso por contribuir para o desenvolvimento e crescimento desta equipa e poder assim promover as nossas fibras inovadoras junto das marcas e distribuição em toda a Europa», garantiu Simon Whitmarsh-Knight.