Início Notícias Têxtil

Idepa impulsiona área técnica

Os produtos técnicos estão a assumir uma importância crescente na oferta da Idepa, que há cerca de dois anos começou a reforçar a visibilidade e o desenvolvimento de produto nesta área de negócio. A Techtextil, em Frankfurt, é a próxima paragem da empresa para mostrar todas as suas valências.

Sem negar que o branding continua a ser o seu ADN, a especialista em etiquetas tecidas e impressas, fitas e elásticos está a desenvolver as suas outras quatro vertentes, com especial destaque para a área técnica. «Temos cinco áreas de produtos: a área de branding, que é dedicada ao lado da moda, para vestuário; automotive, voltada para o automóvel; a área technical, para produtos mais específicos para indústrias mais pesadas; a área da promo, dedicada a empresas de brindes, festivais e afins; e a área de Yarns, que é da recobertura de elastano e borracha», explicou, ao Jornal Têxtil, Yesica Filipe, diretora de marketing da Idepa, num artigo publicado na edição de março (ver Vestuário dá corda às exportações). «Temos uma componente cada vez mais técnica a nível das fitas e elásticos», acrescentou Nuno Almeida, gestor de produto técnico. «Não quer dizer que a empresa já não fizesse isso, mas tentamos dar mais visibilidade e também focar mais no produto, quer no desenvolvimento técnico, quer em criar as condições para que os produtos sejam aprovados pelos nossos clientes e sejam de extrema qualidade e segurança – que é o que pretendemos transmitir ao mercado».

Os produtos são desenvolvidos em colaboração com os clientes, mas o departamento de I&D apresenta igualmente soluções para responder às necessidades do mercado. «Desenvolvemos muito o caderno de encargos do nosso cliente e isso é importante, saber inovar nessa área, encontrar a melhor matéria-prima», afirmou Nuno Almeida.

Depois da estreia na Ispo Munich (ver Um mundo de inovações), em fevereiro passado, a empresa estará na próxima edição da Techtextil, que se realiza de 9 a 12 de maio em Frankfurt (ver Techtextil aquece motores). «Fazemos a Techtextil muito com este tipo de produto técnico, mais cuidado, com fibras e matérias-primas novas», adiantou o gestor de produto técnico.

Para o sucesso da empresa, que em 2016 registou um volume de negócios acima dos 5 milhões de euros, contribui também o domínio dos diversos processos, incluindo a personalização dos artigos, através de técnicas como a sublimação, serigrafia e jacquard. «Dentro de portas podemos fazer quase tudo», destacou Nuno Almeida.

O crescimento da Idepa tem levado a um aumento do efetivo, que conta já com 160 pessoas, um número que cresceu no ano passado «por aumento de produção e pela necessidade de inclusão de alguns turnos. Em algumas áreas já temos três turnos e noutras vamos preparar o terceiro turno. No fundo, essas pessoas entraram na perspetiva de formação», revelou Nuno Almeida.

Os investimentos são constantes, entre aquisição de novas tecnologias e renovação de equipamentos, assim como a aposta na internacionalização, onde a Idepa conta com França, Espanha, Reino Unido, Alemanha, Suécia, América Latina e EUA entre os principais mercados. «O crescimento passará muito pela América Latina e pelos EUA», acredita o gestor de produto técnico.

Apesar dos desafios – colocados por questões como a política norte-americana e britânica –, o corrente ano é encarado com otimismo. «Todos os dias convivo com confecionadores que recebem as marcas e tenho visto que o mercado está muito ativo. Acho que as perspetivas são boas, a nossa perspetiva de crescimento é boa também e não há nada que indique neste momento que as coisas vão correr mal», resumiu Nuno Almeida.