Início Destaques

IFCO confirma sucesso na segunda edição

A Istanbul Fashion Connection fechou portas envolta em otimismo, depois de ter recebido quase 15.500 visitantes internacionais para conhecerem as propostas de mais de 300 empresas. A terceira edição da IFCO está já a ser organizada, estando agendada para 8 a 11 de fevereiro de 2023.

[©IFCO]

A IFCO – Istambul Fashion Connection ocupou 15 mil metros quadrados no Istanbul Expo Center, onde mais de três centenas de empresas mostraram, entre 24 e 26 de agosto, as suas coleções e capacidades produtivas em vestuário de homem, senhora e criança, denim, calçado, couro e pelos, lingerie e sportswear, abrangendo toda a indústria.

No total, a feira registou a presença de 15.493 visitantes internacionais de mais de 107 países, incluindo da UE, Reino Unido, Emiratos Árabes Unidos, Norte de África e EUA. «Todos os canais estiveram representados na feira, desde os grandes centros comerciais e grupos de grandes armazéns, a grossistas, cadeias de retalho internacionais, lojas multimarca e plataformas online», refere a organização em comunicado.

[©IFCO]
Além das coleções, a IFCO contou ainda com um programa paralelo de ações, incluindo a apresentação de tendências pelo gabinete internacional WGSN, um seminário com representantes da feira francesa Who’s Next sobre internacionalização e mesas redondas sobre tópicos relacionados com a exportação para a indústria de moda turca, incluindo certificação, produção sustentável e melhores práticas.

Uma indústria forte

A indústria turca de têxteis e vestuário exportou, no primeiro semestre do ano, 12,4 mil milhões de dólares (sensivelmente o mesmo em euros), um aumento de 11,6% face ao mesmo período do ano passado, dos quais 7,7 mil milhões de dólares tiveram como destino a UE.

Mustafa Gültepe, presidente da Turkish Exporters Assembly e da Associação de Exportadores de Vestuário de Istambul (IHKIB), afirma que os objetivos pós-pandemia foram revistos em alta. «Queremos aumentar as nossas exportações de pronto-a-vestir para 40 mil milhões de dólares a médio prazo. A IFCO será uma das nossas principais fontes motivacionais para esse objetivo», revela.

Mustafá Gültepe [©IFCO]
A associação destaca que a Turquia tem várias vantagens enquanto mercado de produção de proximidade, como prazos de entrega curtos, elevada qualidade de produção, mão de obra jovem e qualificada, a possibilidade de fazer encomendas pequenas e uma indústria têxtil e de vestuário vertical, que permite comprar tudo no mesmo mercado. «O sector produtivo é um ramo importante para a indústria, com mais de 80% das empresas na Turquia ativas neste domínio», afirma.

Contudo, impulsionar a via da marca própria está também nos planos da IHKIB. «Não queremos só ser conhecidos por ser fornecedores de vestuário. Queremos daqui a dois, três anos, ter quatro ou cinco marcas turcas fortes reconhecidas no mundo», sublinha Mustafa Gültepe.

Mustafa Pasahan, vice-presidente do IHKIB, está mesmo confiante de que «22,5 milhões de euros serão alcançados através das marcas próprias até ao final deste ano, apesar da difícil situação económica mundial».

Formar para crescer

Istanbul Moda Akademisi [©IFCO]
Istanbul Moda Akademisi [©IFCO]
Um dos pilares para atingir este propósito de criar marcas é a escola Istanbul Moda Akademisi (IMA), fundada em 2007 pelas associações têxteis IHKIB e ITKIB, que anualmente forma cerca de 1.000 novos profissionais.

Entre os diplomados constam nomes como Şebnem Günay (SBNM), Selen Akyüz, Ezgi Karayel, Tayfun Kaba (Studio Tayfun Kaba), Gökhan Yavaş, Mehmet Emiroğlu (Guaj London), Esin Baris, Gülnur Güneş (GİGİİ’S), Meltem Özbek, Ayşegül Köksal (My Best Friends) ou Yasemin Öğün (Muse for All). Muitos dos estudantes graduados estão ainda a trabalhar atualmente com a indústria da moda, como Tuğçe Demiran, que trabalhou para Anna Kiki e que agora está a construir a sua própria marca em Milão, ou Neslihan Çömez, que desenha para a Dice Kayek.

A indústria turca tem ainda apostado na digitalização, área para a qual existe um projeto de 10 milhões de euros cofinanciado pela IHKIB e a UE, e na sustentabilidade. «As nossas empresas têm de cumprir os melhores standards para as suas exportações e a certificação é um ponto fundamental para elas», destaca Nilgün Özdemir, membro do comité de sustentabilidade da IHKIB e diretor do laboratório Ekoteks.

Depois do sucesso desta IFCO, a próxima edição da feira está já a ser planeada, estando agendada para 8 a 11 de fevereiro de 2023, com a organização a antecipar a presença de mais de 600 empresas num novo layout em que a área dedicada ao sourcing será agrupada num outro hall, o mesmo acontecendo com a lingerie, moda nupcial e de festa. «A participação de empresas de moda internacionais é encorajada, para as quais a IFCO fornece um trampolim para o mercado da Europa Oriental», salienta a organização.

[©IFCO]