Início Notícias Tendências

Ikea aposta em mobiliário robótico

Com as habitações a ficarem cada vez mais pequenas, a multinacional sueca vai lançar, em 2020, a linha de mobiliário Rognan, em parceria com a startup norte-americana Ori. A primeira peça de mobiliário inteligente, controlado por botões, integra vários elementos: o guarda-roupa, a cama e o sofá.

Há cinco anos, o MIT lançou uma caixa robótica que conseguia transformar um apartamento, expandindo-o ou contraindo-o, através de um botão, revelando um armazém, uma cama e uma casa de banto. Eventualmente, o projeto, conhecido como Cityhome, transformou-se numa empresa batizada Ori. Atualmente, esta startup opera diretamente com developers para integrar as unidades robóticas em edifícios.

Nos últimos dois anos, a Ori tem vindo a trabalhar em algo novo: o lançamento de uma linha de mobiliário robótico, em parceria com a Ikea – e a preços da Ikea, noticia a Fast Company. A colaboração é designada “Rognan” e será lançada no Japão e em Hong Kong em 2020.

O novo móvel é basicamente uma unidade, num formato de L, que se move e se modifica. Com uma espécie de parede falsa que se move da esquerda para a direita, dois espaços distintos são criados em função do desejo dos consumidores. De um lado, conta com uma cama que entra e sai do móvel, criando um quarto, quando se deseja dormir. Do outro lado, está um pequeno sofá. Dos dois lados, a Ikea incluiu o seu sistema integrado modular de armazenamento, o Platsa, que permite aos clientes customizar a unidade com gavetas e estantes.

Hasier Larrea, investigador do MIT e fundador a Ori, explica que, embora à primeira vista a peça possa parecer semelhante às anteriores unidades desenvolvidas pela Ori, o Rognan é significativamente diferente, tendo em conta a investigação desenvolvida pela Ikea.

Nos EUA, as peças da Ori têm sido usadas em espaços de entretenimento, como salas de cinema domésticas. Contudo, para a maioria dos mercados asiáticos onde a linha será inicialmente lançada, a promessa de televisores gigantes é menos apelativa do que peças de mobiliário práticas e um sofá integrado. As equipas de design reduziram significativamente a altura do móvel, já que os apartamentos no Japão e em Hong Kong tendem a ter tetos mais baixos do que nos EUA.

Pocket Closet

O preço ainda não foi anunciado e irá, provavelmente, depender do nível de customização. O Pocket Closet da Ori, por exemplo, custa cerca de 2 mil euros, mas a oferta da Ikea pode ser mais barata. Hasier Larrea promete que a linha Rogan terá «um preço Ikea».

Com as habitações a diminuírem cada vez mais em espaço nas grandes cidades de todo o mundo, empresas como a Airbnb estão a considerar o valor das casas customizáveis. A peça poderá desenvolver-se e complicar-se, eventualmente, integrando equipamentos para casas de banho ou cozinhas, dado a gama de produtos da Ikea.