Início Notícias Tecnologia

Impetus rende-se à Smartex

Na continuação da aposta na digitalização, a Impetus está a adotar os sistemas Smartex para deteção de defeitos na produção de malha. O objetivo, que se enquadra na estratégia de sustentabilidade da empresa, é reduzir o desperdício, aumentar a eficiência e a transparência na produção.

[©Impetus]

A Impetus adquiriu a tecnologia de inteligência artificial e visão computacional da Smartex, uma solução que combina hardware e software, com câmaras e luzes que são instaladas dentro do tear circular e que são capazes de detetar um defeito logo no início.

«Na Impetus definimos a nossa estratégia e orientamos a nossa conduta atendendo a um contexto abrangente de sustentabilidade, que se reflete na forma como criamos e produzimos os nossos produtos e como gerimos os desperdícios gerados. Por isso, decidimos incorporar esta tecnologia nos nossos teares, o que nos vai ajudar a detetar defeitos em tempo real, evitando assim desperdícios, não só de matéria-prima, mas de água, energia e produtos químicos», afirma a administração do grupo em comunicado.

Ricardo Figueiredo

Segundo um estudo realizado pela Smartex na Tintex, uma das empresas nacionais que já testou a tecnologia, o mesmo acontecendo com a Familitex, a deteção antecipada de defeitos, incluindo manchas de óleo, buracos e falhas de fio, entre outros, permitiu, durante os 70 dias em estudo, uma poupança de mais de 50 mil litros de água (obtida por não enviar malha com defeito para a tinturaria), 2.772 Kwh de eletricidade, 50 horas de tempo de trabalho, 532,3 quilos de CO2 e 840 metros de malha, equivalente a um total de 2.072 euros. Números que fazem com que o retorno do investimento seja «inferior a um ano, em média», como afirmou Rui Pereira, diretor de desenvolvimento de negócio da Smartex, ao Portugal Têxtil.

Inovar com sustentabilidade

A aquisição desta tecnologia inteligente enquadra-se também na aposta da Impetus na indústria 4.0 e na digitalização da produção. Em entrevista ao Jornal Têxtil, Ricardo Figueiredo, administrador da empresa, assumiu que «a Indústria 4.0 já está naturalmente no nosso ADN» e que a pandemia «veio beneficiar» a transição digital da Impetus, que contempla também a implementação completa do ERP e a modelação 3D.

De acordo com o comunicado da Impetus, «a estratégia de inovação que o grupo tem atualmente, e que se vai prolongar, está ligada a uma simbiose entre a tecnologia e a sustentabilidade e passará por desenvolver novos produtos, novos processos, novos elementos que façam diferença em termos de utilização ou de produção, mas que estejam intimamente relacionados com a redução da nossa pegada ecológica».

Na área da sustentabilidade, a empresa tem também implementado diversas iniciativas. «Todos os nossos processos de produção são especificamente concebidos e executados de modo a reduzir a nossa pegada ambiental e o consumo de energia», sublinha a administração, destacando que «temos painéis fotovoltaicos em grande parte da nossa área industrial» e «mudámos 80% da nossa frota para carros elétricos e híbridos plug-in que funcionam com energia produzida pelos nossos painéis solares».