Início Notícias Marcas

Indagatio veste montanhas

Nasceu na montanha e assume uma ligação inquebrável com a natureza que, além de ter sido o mote de inspiração para a marca, é uma das principais preocupações da Indagatio que é «atraentemente» apta para o uso citadino.

O resultado de várias reflexões na busca da direção certa a nível pessoal e profissional espelha-se na Indagatio, a marca fundada em 2019 por Pedro Caldas que, muitas vezes, recorreu à natureza como refúgio. «Tinha uma profissão completamente diferente do que sonhei. Foram várias as vezes que às sextas feiras segui direto do trabalho para a montanha e regressei às segundas de manhã. Ia para o Gerês e lá indagava na busca do que queria para mim», conta Pedro Caldas, um dos fundadores da marca, ao Portugal Têxtil.

A palavra Indagatio vem do latim e significa busca, uma designação que reflete a forma como a marca nasceu. «Foi a melhor forma que encontrei para descrever a necessidade de estar nos bosques. Não sabia o que procurava nem onde queria chegar», revela.

Apesar da ideia já existir, só se tornou exequível com a ajuda de Patrícia Mendes, também fundadora da marca. «A Indagatio não tinha forma até que, um dia, a Patrícia entra em cena e, juntos, percebemos, entre muitas outras coisas, que a Indagatio seria também uma marca de roupa», afirma. «É uma marca de artigos concebidos para montanha, cuja elegância os faz atraentemente aptos para o uso na cidade», explica Pedro Caldas.

Preservar a natureza

A qualidade dos materiais utilizados nos artigos da Indagatio é um aspeto crucial para a marca, que assume uma postura de preservação da natureza. «Inspiramo-nos nos protagonistas do êxodo rural, nos exploradores de outros tempos, nos que souberam valorizar os bens materiais essenciais. São produtos pensados e desenhados para serem intemporais, com o objetivo de passar de geração em geração», admite o fundador. Uma das missões da marca é apelar ao consumo «ponderado e assertivo» para benefício do meio ambiente. «Os produtos, desde o design à produção final, são orgulhosamente de origem portuguesa, recorremos a várias fábricas no norte do país. São personalizados por nós, com três cruzes e a linha vermelha cosidas à mão e com um número de série também manual», destaca.

A escolha das matérias-primas para o desenvolvimento das peças da Indagatio rege-se pela «durabilidade e conforto», utilizando, por isso, flanela, lã, algodão orgânico e «fibras naturais de elevado valor». Ainda que a marca de vestuário de montanha tenha sido criada para homem, existe já a promessa de uma futura coleção pensada para o género feminino. «O nosso público-alvo foi de início o masculino, mas rapidamente percebemos que as nossas peças acabam por ser unissexo. As mulheres têm de assumir um estilo mais largo», assume Pedro Caldas.

Estratégia digital

A marca, concebida para «quem vive na natureza e não apenas para quem a visita», disponibiliza as criações exclusivamente através da plataforma de venda online. «Estamos à procura de lojas que se identifiquem connosco e queiram vender os nossos artigos», adianta o fundador.

Para divulgar a Indagatio a estratégia centra-se, sobretudo, no digital. «A nossa aposta inicial são as redes sociais com publicações contantes. A associação a embaixadores é muito ponderada. Queremos apenas membros genuínos, que se identifiquem completamente com o espírito da marca. Uma das nossas intenções futuras é a presença em feiras», confessa.

Com vendas online para toda a Europa, a marca, que pretende convidar pessoas a conhecer as florestas nacionais ao associar-se a instituições que promovem tradições e costumes que «não merecem ser esquecidos», está a tentar levar os artigos de montanha vestíveis no quotidiano para o mercado americano. «Estamos a ver uma possibilidade de entrar na América. É um público com o qual nos identificamos muito», reconhece Pedro Caldas.