Início Notícias Retalho

Inditex com prego a fundo

Com um crescimento das vendas de 11%, a Inditex continua a demonstrar uma capacidade sem rival de atender aos desejos dos consumidores. A retalhista espanhola registou um aumento de 9% do lucro nos primeiros nove meses do ano e nem as temperaturas amenas das últimas semanas travaram o seu ímpeto expansionista.

Numa altura em que os seus concorrentes estão a ter dificuldades em adaptar-se aos gostos dos consumidores, como tem acontecido com a Abercrombie & Fitch e a Gap, que revelaram números desanimadores no quarto trimestre, a retalhista espanhola continua a somar vendas.

Conhecida por responder rapidamente às tendências e às condições meteorológicas, graças a uma produção de proximidade, nomeadamente em Portugal, e um centro de distribuição na Galiza, a Inditex registou um crescimento de 11% das vendas totais nos nove meses até 31 de outubro, para 16,4 mil milhões de euros. O lucro aumentou 9%, para 2,2 mil milhões de euros.

«Este crescimento, juntamente com os investimentos realizados pelo grupo, permitiram criar 9.245 novos postos de trabalho em todo o mundo nos últimos 12 meses», destaca o comunicado publicado no site da Inditex. «O crescimento da empresa está a permitir uma notável criação de emprego e de valor em diferentes países, especialmente em Espanha graças ao efeito de sede, o que é uma notícia extraordinária», afirma o presidente da Inditex, Pablo Isla no mesmo comunicado.

Com 7.240 lojas em 93 países – 227 das quais abertas nos primeiros nove meses de 2016 –, a empresa fundada por Amancio Ortega continuou a afastar-se da abertura de novas lojas como principal motor de crescimento, preferindo, ao invés, criar grandes flagships em localizações centrais e fomentar o negócio online, um modelo de negócio «que vamos continuar a impulsionar», revela o presidente.

A Inditex mantém ainda o empenho na sustentabilidade, tendo colocado em setembro pontos de recolha de vestuário em todas as suas lojas Zara em Espanha. Um programa que se vai estender a outros países, incluindo Portugal, segundo o comunicado da retalhista.

Outros retalhistas têm tido dificuldade em acompanhar a presença online da Inditex, que está agora presente em 41 mercados, depois de ter aberto a Turquia em outubro. Para além da Zara, as suas marcas incluem a cadeias de moda mais jovem Pull&Bear e a marca de gama mais alta Massimo Dutti.

Não só os números dos primeiros nove meses são positivos, como os indicadores iniciais do último trimestre dão razões para sorrir a Pablo Isla e restante equipa. Entre 1 de novembro e 12 de dezembro, o crescimento das vendas da Inditex acelerou para 16% em comparação com o ano passado, sugerindo um crescimento de 10,5% nas vendas comparáveis, de acordo com os analistas da Bernstein, citados pela Reuters.

Em comparação, a H&M reportou um aumento de 10% em termos anuais nas vendas em moeda local em outubro.

No ano até agora, as margens da Inditex, em euros, foram afetadas pelas variações negativas das moedas do Reino Unido, México e China. Mas, segundo os analistas, qualquer impacto deverá ser compensado pela aceleração das vendas online e pela estratégia de expansão de lojas.