Início Notícias Vestuário

Inditex financia-se junto da banca

A gigante espanhola quer blindar os efeitos da pandemia provocada pela Covid-19 e negoceia com a banca acesso a linhas de liquidez no valor de 2 mil milhões de euros.

A Inditex está a negociar com a banca linhas de liquidez de modo a blindar a tesouraria, para tentar minimizar os impactos da crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Segundo avança o jornal espanhol Cinco Dias, o grupo liderado por Pablo Isla, já terá assegurado mais de mil milhões de euros com diferentes entidades financeiras. Fontes financeiras admitem no entanto que este valor poderá chegar aos 2 mil milhões de euros. As mesmas fontes asseguram que a Inditex não terá nenhum problema para obter este financiamento, uma vez que a banca “luta” para ter como cliente a jóia da coroa das empresas espanholas.

O objetivo da Inditex é blindar a sua posição financeira, isto apesar das disponibilidade de caixa superaram os 8 mil milhões de euros a 31 de dezembro de 2019, segundo o relatório de contas da empresa.

A Inditex fechou o ano de 2019, com uma faturação superior a 28 mil milhões de euros, e registava um passivo de apenas 32 milhões de euros a curto prazo e seis milhões a longo prazo.

A gigante espanhola já tem abertas linhas de financiamento de 6.466 milhões de euros para o exercício fiscal que decorre, a que se junta um financiamento de 6.240 milhões de euros do ano anterior.

Pablo Isla

Esta não é a única medida da gigante espanhola, detentora da Zara, para tentar travar o impacto do novo coronavírus, a empresa anunciou há dias a suspensão dos dividendos. E fez saber que provisionou 287 milhões de euros.

Em março, a Inditex tinha fechado mais de metade da sua rede de lojas em todo o mundo, e só na primeira quinzena de março as suas contas reportavam uma quebra das vendas de 24%.

Apesar destas dificuldades, a empresa anunciou esta segunda-feira que não iria recorrer ao Expediente de Regulação Temporal de Emprego (ERTE), uma das medidas anunciadas pelo Governo espanhol para ajudar as empresas no combate à crise, depois de ter admitido que essa poderia ser uma realidade, e que iria pagar o salário dos seus trabalhadores em recursos próprios.

Regresso ao trabalho

Os colaboradores dos 10 centros de logística da Inditex em Espanha voltaram ao trabalho na segunda feira, dia 13 de abril, mas assumiram apenas metade dos níveis normais de atividade, revelaram os trabalhadores à Reuters.

Ainda assim, apenas três das 13 fábricas espanholas da Inditex retomaram as produções para confecionar material médico com o objetivo de ajudar Espanha a combater a pandemia de Covid-19, o que indica que marcas como a Zara e a Bershka, pertencentes ao grupo, não têm novas peças de vestuário em produção, contou um representante do sindicato à Reuters.

O isolamento obrigatório para todos os trabalhadores não essenciais foi uma medida fulcral para enfrentar o vírus em Espanha, mas este bloqueio deixou de estar em vigor na segunda-feira, permitindo que as pessoas regressem aos postos de trabalho depois de uma interrupção de duas semanas. A Inditex, que tinha cogitado a dispensar trabalhadores temporariamente se o estado de emergência se prolongasse depois de 15 de abril, assumiu que não vai colocar em lay-off nenhum dos 25 mil funcionários das suas lojas em Espanha este mês, garantido assim a o pagamento total dos salários.

Segundo um representante do sindicato e trabalhador, os funcionários da gigante espanhola regressaram ao trabalho, mas com horário de trabalho reduzido, meio dia ou apenas dois ou três turnos por semana, para minimizar o contacto entre os trabalhadores. Impedir entradas e saídas simultâneas das instalações, o uso de máscaras e luvas obrigatórias e a distância de dois metros entre colegas foram algumas das regras implementadas pelo grupo para melhor gerir a situação laboral em tempos de pandemia.

A proprietária da Zara não divulgou a proporção de moda a ser produzida em Espanha, mas 57% das fábricas fornecedores estão perto da sede do grupo, nomeadamente em Espanha, Portugal, Turquia e Marrocos, possibilitando assim uma resposta rápida às tendências.

Nos resultados anuais da Inditex divulgados a 18 de março, a empresa afirmou ter fechado temporariamente 3.785 lojas em todo o mundo, o que deixa ainda cerca de metade das lojas abertas.

As marcas da Inditex estão a aplicar descontos em vários artigos, para libertar stock não escoado. A oferta dos portes de envio na loja online também é uma medida adotada pelo grupo espanhol, que alargou o prazo de devoluções para 30 dias depois da reabertura das lojas.