Início Notícias Retalho

Inditex não para de crescer

Numa altura em que os retalhistas se debatem por superar as dificuldades de adaptação aos novos hábitos de compra dos consumidores, a Inditex volta a exceder as expectativas. Com um crescimento das vendas de 7,5%, a gigante espanhola chegou quase aos 20 mil milhões de euros, desde fevereiro a outubro de 2019.

Pablo Isla

Os resultados foram publicados no dia 11 de dezembro e, mais uma vez, revelaram a subsistência da empresa face às circunstâncias sociais e económicas adversas que têm vindo a influenciar os hábitos de compra dos consumidores. No período de nove meses que se iniciou em fevereiro, a Inditex registou vendas de 19,8 mil milhões de euros – e, no final do ano fiscal de 2019, espera atingir um crescimento anual entre os 4% e os 6% das vendas comparáveis. Esta subida foi acompanhada por um aumento de 8% no lucro bruto, com uma margem bruta de 58,2%, atingindo a sua melhor posição em termos de liquidez, com uma subida de 17%.

Durante os nove meses, os dados do grupo indicam um crescimento de 12% em lucro líquido, para 2,72 mil milhões de euros, mais 280 milhões de euros do que no período homólogo. Só durante o terceiro trimestre, a receita líquida atingiu os 1,17 mil milhões de euros, o que significa uma subida de 14% relativamente ao mesmo período do ano passado e ligeiramente acima das expectativas dos analistas.

Pablo Isla, CEO do grupo, destaca a estratégia da empresa, que demonstra «um crescimento sólido a ser entregue pelo nosso modelo integrado de lojas físicas e online, graças ao nosso foco em localizações da maior qualidade, ambiente de loja, produtos e experiência do consumidor, tanto nas lojas como online. Crucialmente, estes fatores vêm acompanhados de investimentos estratégicos em tecnologia e sustentabilidade». Os números do relatório mostram que a Inditex continua a investir na abertura de novas lojas, na aceleração da expansão digital e na integração do meio online com o físico.

Por outro lado, o grupo também beneficia de um modelo de negócio que privilegia a manutenção de um stock reduzido, impondo um controlo restrito aos produtos ao longo da cadeia de aprovisionamento e uma resposta rápida e eficaz às tendências de mercado, através de reduzidas margens de tempo entre o processo de design e de produção. «O nosso baixo nível de inventário permite-nos obter níveis reduzidos de compromisso a qualquer altura», esclarece o CEO.

Inditex por todo o mundo

Durante o terceiro trimestre, a empresa lançou a Zara online na África do Sul, Ucrânia, Filipinas e Colômbia, enquanto as plataformas digitais da Massimo Dutti e Zara Home iniciaram atividade nos Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Líbano e Marrocos. Por sua vez, a Stradivarius, Oysho e Uterqüe estenderam as suas plataformas online aos EUA. As marcas do grupo operam agora lojas digitais de distribuição mundial, chegando a mais de 200 mercados em todo o mundo.

Além disso, a empresa continuou o seu programa de abertura e renovação de lojas. A estratégia está concentrada em lojas maiores e integradas em localizações de maior visibilidade, em ruas principais de grandes cidades de 96 mercados. O terceiro trimestre ficou marcado por reaberturas de alto perfil, como a Zara Preciados em Madrid e a Zara Dubai Mall, a maior loja num só piso do mundo, com uma área superior a 5 mil metros quadrados.

De resto, todas as marcas do grupo (Zara, Pull&Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho, Zara Home e Uterqüe) abriram ou reabriram lojas em localizações premium durante o trimestre. Na China, a Zara inaugurou a sua loja alargada no centro comercial IFC, em Hong Kong, e várias marcas do grupo estrearam-se no espaço Jinan Mix City, na cidade chinesa Jinan. Em Moscovo, ocuparam o centro comercial Salaris e, no Cairo, chegaram ao City Center Almaza.

A Inditex estreou ainda a primeira for&from internacional, em Como, Itália, que visa a integração social de pessoas com deficiências, oferecendo-lhes oportunidades de emprego dentro do grupo.

No total, o grupo opera agora 7.486 lojas.

O futuro da empresa

Nestes três meses, a Inditex continuou a investir no novo edifício que será usado pela zara.com. O espaço de 63 mil metros quadrados na sede da cidade de Arteixo, em Espanha, reservará a infraestrutura necessária para as produções fotográficas e videográficas da plataforma online.

«O novo edifício está a ser equipado com os mais recentes desenvolvimentos ecoeficientes, em termos de aplicação de métodos de construções e consequente gestão de desperdício e energia», revela o grupo em comunicado.

Também estão em desenvolvimento os trabalhos no centro logístico em Lelystad, na Holanda, previsto para estar totalmente operacional no próximo ano.