Início Notícias Retalho

Inditex ultrapassa o El Corte Inglés

Depois de há anos ver a liderança fugir para o El Corte Inglés, os números de 2019 colocam a Inditex no pódio espanhol.

O grupo espanhol fundado por Amancio Ortega ultrapassou o El Corte Inglés na liderança de vendas de roupa a retalho em Espanha, segundo os dados de 2019. Apesar de ser reconhecido como líder mundial, o dono da Zara e da Massimo Dutti viu a liderança fugir-lhe no mercado espanhol para o concorrente.

O jornal Cinco Días, adianta esta terça-feira que apesar dos dados não serem homogéneos, a liderança mudou de mãos.

A Inditex, dirigida por Pablo Isla, fechou o exercício de 2019 com um volume de vendas de 4.766 milhões de euros no mercado espanhol, um crescimento de 4,6% face ao ano anterior. Já o El Corte Inglés registou, em 2019, vendas de 4.967 milhões de euros, mais 2,3% face ao exercício anterior. No entanto, excluindo as vendas internacionais, este número cai pela primeira vez para valores abaixo das vendas da Inditex em Espanha.

O El Corte Inglés, presidido por Marta Álvarez, consolida as contas com a insígnia Sfera, o negócio mais internacionalizado do grupo e dos grandes armazéns  instalados em Portugal.

Segundo o jornal espanhol, em 2018, as vendas da Sfera Joven, empresa que agrega o negócio de moda com exceção do México, totalizaram 72,6 milhões de euros no exterior. Por seu lado, a filial mexicana faturou 73 milhões de euros, totalizando assim 146 milhões. A estes números, há ainda que somar os dados de vendas em Portugal, cujo peso varia entre 2% e 3% das vendas globais do El Corte Inglés, na ordem dos 150 milhões de euros.

Face a estas contas, o volume de negócios do El Corte Inglés Espanha deverá variar entre 4.600 milhões e 4.700 milhões de euros, abaixo das vendas da dona da Zara em Espanha.

O Cinco Días faz ainda a ressalva que estas contas podem estar enviesadas, uma vez que o El Corte Inglés, não específica que secções inclui dentro do segmento moda, uma vez que o grupo segmenta as suas vendas em alimentação, casa, cultura, ócio, vendas intragrupo e outros. De resto, a publicação avança que no segmento de moda têxtil o grupo galego já deve ter superado as vendas de El Corte Inglés em Espanha há uns anos.