Início Arquivo

Indústria tradicional sem futuro

Segundo o Jornal de Notícias, em entrevista à Lusa, o ex-ministro da Economia Daniel Bessa afirmou que o peso dos sectores tradicionais da economia portuguesa, como o calçado e a têxtil, têm que continuar a cair, para que se comece a investir em segmentos com maior valor acrescentado. Nas palavras do ex-ministro, «no que respeita aos sectores tradicionais, não me parece que se deva colocar a questão em termos de seu futuro, mas do futuro de muitas das suas empresas» e «se tudo correr bem, o peso de sectores como o têxtil e o calçado terá que continuar a cair». Na mesma entrevista, Daniel Bessa declarou que esses não são sectores de futuro, o que não impede de continuar a «haver lugar em Portugal para um conjunto de empresas de futuro nessas áreas, com vantagens competitivas consideráveis e muitas coisas a seu favor». No entanto e sem grande optimismo, o economista afirmou mesmo, que «não podemos imaginar que toda a têxtil e calçado português evoluirão no sentido de maior qualidade e valor acrescentado.»