Início Notícias Tendências

Inspiramais com novas pesquisas

Legado e Etéreo são os temas que definirão as principais tendências de componentes para a moda que serão apresentados na próxima edição do salão Inspiramais, que se realizará nos dias 24 e 25 de janeiro de 2023 em Porto Alegre, no Brasil.

[©Inspiramais]

Segundo o coordenador do núcleo de design do Inspiramais, salão de inovação e design de materiais da América Latina, o criador de moda Walter Rodrigues, a pesquisa de novos materiais está a ser realizada pela metodologia da pirâmide, sendo a base (10%) o laboratório da pesquisa, o processo de desenvolvimento dos materiais (30%) e o topo (60%) que corresponde à massificação e à aprovação do mercado. «Tentamos investigar quais são os sinais primordiais que indicam os caminhos, para compreender o que nos aguarda a partir do momento em que a pandemia estiver estabilizada e quais serão os desejos dos consumidores», explica Walter Rodrigues.

Dentro deste contexto, a pesquisa tentou valorizar a origem da humanidade, a força primal que é a base de todo o desenvolvimento humano. «O imaginário primitivo e brutalista está explícito nos trabalhos de vários designers e artistas. Compondo esse cenário contemporâneo temos também, em oposição a essa expressão de força, uma fragilidade que, de forma poética, nos envolve através de sentimentos e desejos de leveza e contemplação», acrescenta o coordenador do núcleo de design do Inspiramais.

[©Inspiramais]
Da base da pesquisa fazem parte os temas Legado e Etéreo. O primeiro traz a brutalidade e rusticidade, com materiais que denotam crueza e simplicidade, com grande destaque para o western, presente em produções artísticas nacionais e internacionais. Já no Etéreo, embora focado nos instintos primais, são apresentados materiais sintonizados com as atuais antenas do zeitgeist (espírito do tempo), com texturas e provocações, seja por sensações de força, de fetiche, leveza ou acalanto. «Trata-se de uma narrativa que estabelece um propósito de sedução com o consumidor a partir da sustentabilidade e da beleza dos materiais – a vontade de tocar e envolver», esclarece Walter Rodrigues. A paleta de cores apresenta tons mais empoeirados, desgastados, naturais e delicados, como sky gray, lamb’s wool e peach wip.

Desenvolvimento e confirmação do mercado

Nas fases seguintes da pesquisa, que aponta caminhos para o desenvolvimento e a confirmação do mercado (massificação da moda), nos 30% e 60%, aparecem os temas Terra e Corpo. O primeiro traz aspetos da sustentabilidade ambiental e do cuidado com o planeta. Neste contexto, destacam-se os materiais que levam em consideração o conceito de biomimética, com as chamadas bio-based – materiais produzidos por organismos vivos a partir de processos naturais, como a fermentação; a simbiose, que significa vida em comum, com dois organismos diferentes convivendo harmoniosamente; e o biônico, que leva em consideração a fusão entre o real e o desejado a partir de múltiplas identidades proporcionadas pela realidade virtual e pela sofisticação dos jogos (criação de avatares).

[©Inspiramais]
Por fim, a fase 60% coloca o Corpo e sua potência estética e diversidade de formas no centro da pesquisa. São materiais que trazem elementos da anatomia, texturas que remetem para a pele, brilhos, emborrachados, pelos e peso (sem perda da fluidez). Nesta paleta de cores primam os tons fortes como buckskin, butternut, cherry mahogany, moroccan blue, afterglow, red alert e tap shoe.

Com duas edições anuais, o Inspiramais lança mais de 1000 materiais para os segmentos do calçado, confeção, mobiliário e bijuteria. Em cada edição são apresentados projetos inovadores e sustentáveis para o sector da moda.

A exportação de componentes brasileiras tem crescido, sobretudo para a Europa. Portugal foi o terceiro principal destino das exportações do sector, com 38 milhões de dólares, 53% mais do que no mesmo período de 2021. Comparativamente a 2020, o aumento foi de 76%.