Início Arquivo

Internautas compram mais moda

Em 2005, as mulheres eram cada vez mais a comprar na Internet, começando a recuperar o seu atraso em relação aos compradores masculinos. No início de 2005, elas «tomaram o poder», anunciam os responsáveis da associação francesa Acsel (Associação para o comércio e os serviços em linha), que publica regularmente um barómetro realizado com vários aderentes e parceiros. Metade dos internautas femininos já comprou on-line, contra 44,7 há um ano atrás, de acordo com o último barómetro publicado no início de Maio. Mais de metade dos novos compradores on-line (cujo acto de compra data de há menos de 3 meses) são mulheres. Consequência desta feminização ultra rápida, o sector do vestuário e acessórios faz parte daqueles cuja progressão em número de intenções de compra é a mais forte sobre um ano (superior à média dos 14 sectores analisados), com uma percentagem de 125% logo a seguir ao sector áudio-foto-ciné. Os websites de moda e beleza seduzem completamente as mulheres. Mais de 35% dos 5.618 sites referidos pela associação pertencem aos sectores da moda e da beleza, aparecendo logo a seguir às categorias cultura-lazer e vida prática, tendo a mesma registado 236 novos sites nesta categoria no primeiro trimestre de 2006 (o mais forte crescimento, depois das categorias som-imagem e vida prática). Em geral, a compra na Internet tende a ser cada vez mais democrática: mais de um internauta em cada dois (54,4%) e mais de um internauta com idade compreendida entre 50 e 64 sobre dois (55%) comprou on-line. As muito pequenas, pequenas e médias empresas apresentam um grande dinamismo, já que o crescimento médio do seu volume de negócios por site activo reunido no seio da plataforma Doyousoft-PowerBoutique, que agrupa 570 boutiques, é de 63,8%.