Início Arquivo

Itália, capital do bom gosto

Apesar do mito da elegância “british”, a Inglaterra obteve uma pontuação bastante negativa, segundo um estudo realizado pelo portal de consumo Ciao, que avaliou o estilo dos cidadãos europeus. Em primeiro lugar aparece a Itália, que mantém o estatuto de capital do bom gosto. A Espanha, que exporta imagens de moda como Andrés Velencoso, Jon Kortajarena ou Penélope Cruz, posiciona-se em terceiro lugar nesta lista, a seguir à Itália e à França, que ocupam as duas primeiras posições. De igual forma, a Espanha está na linha da frente em relação à percentagem de pessoas que gasta mais de 250 euros por mês em roupa. Uma percentagem apenas superada pela Holanda. Por outro lado, a Alemanha é o país que gasta mais em vestuário e acessórios, com 95% dos entrevistados a admitirem gastar entre 100 e 250 euros mensais, quando a média europeia assinala que 70% da população gasta menos de 100 euros por mês neste tipo de produtos de consumo. No entanto, apesar dos alemães gastarem tanto dinheiro em roupa, foram considerados como o segundo país com «pior estilo da Europa». Um dos dados mais reveladores da sondagem é a forma como os europeus continuam a considerar como ideias de beleza estética as celebridades que vivem do outro lado do Atlântico. Em Espanha, 34% das pessoas tem os olhos postos em Hollywood, nomeadamente no casal mais mediático da Sétima Arte: Angelina Jolie e Brad Pitt. Por outro lado, 33% dos Europeus olham para o casal Obama como o máximo da elegância mundial. Já as duplas Siena Miller/Jude Law e Victoria/David Beckham ocupam os últimos lugares da tabela em matéria de estilo e bom gosto. Na hora de eleger os acessórios, os sapatos continuam a ser a peça mais valorizada, sobretudo na Alemanha. Em contrapartida, em Itália e França, as mulheres parecem preferir as carteiras e as jóias como complemento ao vestuário. Os Ingleses preferem os óculos de sol e a roupa interior. O que realmente se comprova ser uma tendência generalizada em todos os países da Europa é o aumento das compras através da Internet. Segundo o estudo do Ciao, os consumidores deixaram os temores de lado e apostam cada vez mais nas novas tecnologias para realizar as suas compras.