Início Arquivo

Itália quer deixar a crise para trás

Apesar da fileira moda italiana se perfilar como o primeiro sector que vencerá a estagnação económica e, consequentemente, voltar ao crescimento, as entidades representativas das empresas reclamam do governo mais e melhores apoios para tornarem os seus associados mais competitivos nos mercados internacionais. As reclamações da indústria da moda italiana junto do governo datam já do ano passado, quando as associações sectoriais solicitaram ajudas públicas para suavizar os problemas causados pela queda abrupta da procura de vestuário, sapatos e acessórios de moda. Apesar da crise económica ainda não se ter dissipado completamente, as vendas de artigos de moda estão a recuperar positivamente, referiu recentemente Michele Tronconi, responsável da associação Sistema Moda Italia (SMI), que representa os interesses das empresas têxteis e do vestuário. «Nos últimos meses temos assistido a alterações dos acontecimentos. Actualmente estamos perante um contexto favorável por variadas razões», referiu Tronconi aos jornalistas durante a feira Pitti Uomo. «A crise ainda não chegou ao fim mas a fileira moda foi a primeira a ser atingida pela crise e será a primeira a sair dela», vaticinou. A SMI anunciou, em Novembro, que o volume de negócios da indústria têxtil e de vestuário italiana deverá cair cerca de 16% em termos homólogos durante o ano de 2009, para os 45 mil milhões de euros. Os grupos empresariais italianos do segmento do luxo estão actualmente focalizados na reconquista da sua base de clientes à medida que estes emergem da crise económica. Os italianos têm aproveitado o tempo frio e a época de saldos para incrementarem as suas compras de artigos de moda a preços mais competitivos com especial destaque para as marcas de estilistas mais reconhecidos. «As vendas na época de saldos estão a correr muito bem», anunciou o responsável da SMI. Em relação aos apoios que reclama junto do governo italiano, Michele Tronconi, referiu a redução dos custos energéticos, o controlo de origem dos artigos e a redução da carga fiscal como medidas úteis para a indústria. De acordo com este responsável, as reuniões que decorrem entre a SMI e o governo deixam antever um desfecho positivo para as pretensões dos empresários da fileira moda italiana.