Início Notícias Mercados

ITV em expansão

A República das Maurícias, composta pelas ilhas Maurícias, Rodrigues, Agalega e o arquipélago de Saint Brandon, em pleno Oceano Índico, a cerca de 2.000 km da costa sudeste do continente africano, tem uma política económica liberal no que diz respeito ao comércio internacional, investimento e turismo. O país, onde habitam 1,3 milhões de pessoas, tem emergido como um ponto de aprovisionamento de produtos e serviços, graças, em parte, à sua localização estratégica na rota comercial entre a Ásia e África. Atualmente, aponta o just-style.com, a economia do país exporta mais de 1.500 linhas de produto para cerca de 150 países. Desde a independência em 1968, a República das Maurícias desenvolveu-se de uma economia de baixos rendimentos, baseada na agricultura, para uma economia diversificada de rendimentos médios. A economia apoia-se no turismo, têxteis e vestuário, açúcar e serviços financeiros. A sua estimativa do PIB foi de 20,2 mil milhões de dólares (18,1 mil milhões de euros) em 2012, um dos mais altos de África. A indústria de vestuário do país percorreu um longo caminho, da produção de produtos básicos a um fornecedor verticalmente integrado de vestuário com design. Os seus principais produtos são t-shirts, camisas, lingerie, loungewear, sportswear, calças, denim, fatos e pullovers. As Maurícias exportam um pouco para todo o mundo. Tradicionalmente, os principais mercados de exportação são a Europa e os EUA, mas nos últimos anos as exportações para o mercado da África do Sul têm vindo a aumentar. No total, existem cerca de 250 empresas de têxteis e vestuário no país, que dão emprego a 44 mil pessoas. A capacidade de fornecer uma gama variada de produtos têxteis com preços diferentes e um foco na qualidade, o investimento realizado na atualização da tecnologia, a política económica liberal em relação ao comércio internacional e flexibilidade em relação a quantidades mínimas e prazos de entrega são apontados pelo just-style.com como as principais vantagens da indústria têxtil e vestuário do país. O acesso preferencial ao mercado da União Europeia, aos EUA, aos mercados africanos, à Turquia, ao Paquistão e à maior parte dos países em desenvolvimento, garantido pelos diversos acordos de comércio internacional que assinou, fazem também do país um ponto privilegiados para as compras de têxteis e vestuário. As exportações de tecidos, sobretudo de algodão e denim, ganharam dimensão nos últimos anos. As exportações aumentaram 17,52% de 2,97 mil milhões de rupias mauricianas (79,15 milhões de euros) em 2012 para 3,49 mil milhões de rupias mauricianas em 2013. Já as exportações de vestuário atingiram o pico em 2011, com 21,7 mil milhões de rupias mauricianas, e desde então têm vindo a diminuir, tendo ficado em 20,1 mil milhões de rupias mauricianas em 2013. No total, o sector representa 55% de todas as exportações, rondando os 27 mil milhões de rupias mauricianas anualmente, e 5% do PIB do país.