Início Arquivo

ITV mexicana reconquista EUA

A quota do México no mercado dos EUA, que responde por cerca de 55% das suas exportações de têxteis e 95% das exportações de vestuário, caiu drasticamente após a entrada da China na Organização Mundial do Comércio (OMC) em 2001. Em 2000, o México era o maior fornecedor de vestuário dos EUA, mas caiu para a sexta posição no final de 2010. No entanto, o valor das exportações de vestuário do México para os EUA cresceu 7,4% atingindo os 3, 8 mil milhões de dólares em 2011, subindo para a 5.ª posição nos EUA, de acordo com a OTEXA (US Office of Textiles and Apparel). A China manteve-se confortavelmente como principal fornecedor, com o valor de 29,4 mil milhões de dólares de exportações, mas o seu crescimento, na ordem dos 5,1%, foi mais lento que o do México. Miguel Angel Andreu, um consultor mexicano para o setor têxtil e de vestuário, que trabalha com alguns dos principais fabricantes do país, afirma que a indústria mexicana está cada vez mais interessada em explorar as suas inúmeras vantagens, nomeadamente os seus custos baixos e a proximidade com os EUA. Os fabricantes estão concentrados na sua capacidade de oferecer flexibilidade e tempos de resposta rápidos, especialmente porque os compradores norte-americanos parecem cada vez mais relutantes em importar volumes elevados de vestuário da China, devido à contínua incerteza do mercado nos EUA. Enquanto isso, os dados da Canaive, a associação mexicana da indústria de vestuário, mostram que a diferença de salários globais de fabricação entre o México e a China encolheu dramaticamente nos últimos anos, com o custo da mão-de-obra mexicana a ser 13,8% maior do que na China em 2010, comparado com 237,9% em 2002. Andreu indica que igualmente importante para o renascimento da indústria mexicana é a sua crescente focalização em maior qualidade e numa carteira mais ampla de produtos. O consultor explica que um número crescente de fabricantes de vestuário está a beneficiar da entrada em mercados de nicho de moda e um afastamento da produção de grandes volumes. «Mais e mais empresas estão a produzir pequenas séries e a investir em design de alta qualidade», refere o responsável, acrescentando que um número cada vez maior de produtores de fatos está a alargar a atividade para o mercado da moda. Andreu revela ainda que os produtores mexicanos de vestuário estão a trabalhar cada vez mais estreitamente com as marcas nos EUA para ajudarem a cumprir os requisitos específicos e que um número crescente de fornecedores está a oferecer a fabricação de pacote completo, principalmente para denim, que é a principal exportação de vestuário do México, e t-shirts. Andreu diz ainda que os fabricantes mexicanos estão a produzir vestuário em denim com maior valor acrescentado, bem como a incorporar uma gama crescente de inovações, como o acabamento Storm Denim, desenvolvido pela Cotton Incorporated, sedeada no estado norte-americano da Carolina do Norte. A iniciativa conjunta Mexico Fits, projetada para impulsionar as exportações e lançada em 2009, está a destacar a gama cada vez maior de produtos disponíveis no México, que, para além do vestuário de denim e das t-shirts, inclui camisas de tecido e malha, calças de algodão, vestidos, fatos, lingerie, meias, vestuário de desporto, roupa de banho e vestuário em não-tecido. A iniciativa México Fits foi lançada pela Canaive, Canaintex (associação da indústria têxtil mexicana), ANIQ (associação da indústria química mexicana), o ministério da economia, e o ProMexico (uma instituição do governo mexicano para impulsionar o papel do país na economia global). Segundo a Canaive, a ITV mexicana está também a procurar aumentar as exportações de vestuário para outros mercados, especialmente aqueles com os quais o México possui acordos de livre comércio, incluindo a União Europeia, Japão, Canadá e parte da América Latina. As expetativas estão a aumentar também ao nível de um crescimento mais forte no mercado interno, embora este permaneça intimamente ligado ao desempenho da economia dos EUA. O mercado de retalho de vestuário do México representou 5,4 mil milhões de dólares em 2011, apresentando uma taxa composta de crescimento anual de 2,8% desde 2007, de acordo com o Fast Market Research.