Início Notícias Têxtil

ITV reforça importância económica

Em 2016, as exportações portuguesas de têxteis e vestuário registaram uma subida de 5,1%, para 5.062,74 milhões de euros, o que confirmou a importância do sector para a economia nacional. A ITV é atualmente responsável por 9,7% das transações comerciais com os mercados externos e ocupa a 9.ª posição no contexto europeu.

As conclusões fazem parte do estudo “Têxtil e Vestuário no Contexto Nacional e Internacional” de dezembro de 2016, produzido pelo CENIT – Centro de Inteligência Têxtil, onde são compilados e sistematizados os dados estatísticos relativos ao desempenho da indústria têxtil e vestuário portuguesa.

«A indústria do têxtil e do vestuário, vista no seu conjunto, é um dos poucos sectores industriais em que Portugal apresenta vantagens comparativas reveladas e um bom posicionamento competitivo no contexto internacional», destaca o estudo, que dá nota de um saldo comercial positivo nos produtos têxteis e de vestuário.

De acordo com a análise dos dados disponíveis no INE, o valor das exportações portuguesas de têxteis e vestuário registou uma subida de 5,1% no conjunto do ano 2016, relativamente ao verificado em 2015, ficando cifrado nos 5.062,74 milhões de euros. Este resultado surge na sequência de uma subida de 7,8% nas exportações destinadas ao mercado Intra-UE28 (totalizaram 4.268,22 milhões de euros), enquanto as exportações destinadas ao mercado Extra-UE28 registaram uma descida de 7,0% (totalizaram 794,53 milhões de euros).

Em termos de mercados, indica o estudo, «Espanha, França, Alemanha e Reino Unido ocupam os lugares cimeiros do ranking de destinos de produtos de têxtil e vestuário portugueses no acumulado do ano de 2016», acrescentando que «a proximidade geográfica continua a ser um fator de competitividade importante para o tipo de produtos exportados por Portugal, mesmo expurgando os efeitos das exportações para Espanha que são depois reexportadas para outros destinos».

Já no que diz respeito às importações, no conjunto do ano 2016, observou-se uma subida homóloga de 2,0%, para 3.912 milhões de euros. Os países europeus lideram a lista de fornecedores de produtos têxteis, com destaque para os membros da UE (78,2% do total das importações). O estudo refere que «Espanha, Itália, França e Alemanha contribuem para mais de 65% do total, enquanto os países extracomunitários que merecem destaque são a China (5,5%), a Índia (4,7%), a Turquia (2,9%) e o Paquistão (2,3%)».

Contando com uma periodicidade mensal, o estudo “Têxtil e Vestuário no Contexto Nacional e Internacional” conta ainda com informação sobre o panorama internacional, incluindo o enquadramento da atividade económica mundial e a análise, com carácter mais detalhado, do comportamento da indústria têxtil e de vestuário no comércio mundial. Segundo os dados preliminares do ITC, de janeiro a novembro de 2016, as exportações europeias de têxteis e vestuário cifraram-se em 155.856.495 mil euros, representando 3,5% do total das exportações de mercadorias e um crescimento homólogo de 3,2%.

O estudo do CENIT revela ainda que, na UE, a Alemanha mantém-se como principal exportador e importador de têxteis e vestuário, seguida de Itália (2.º maior exportador e 4.º maior importador). «Portugal ocupa a 9.ª posição no ranking dos maiores exportadores europeus», sublinha.

O estudo está disponível para consulta e download através do link: Têxtil e Vestuário no Contexto Nacional e Internacional Publicação Mensal – Dezembro 2016.