Início Notícias Vestuário

ITV vietnamita quer mais valor

O governo vietnamita está apostado em reposicionar o sector de vestuário do país – abandonando o modelo atual de baixo custo e apostando num sector de valor acrescentado, com o design e o branding como pilares.

O primeiro-ministro do Vietname, Nguyen Xuân Phúc, é o rosto desta mudança de direção, embora os detalhes das ações concretas ainda não tenham sido divulgados.

O objetivo inicial da decisão do governo é incrementar a competitividade das exportações vietnamitas, até 2020. À margem, há mudanças mais profundas e a longo-prazo até 2030.

Política abrangente

A decisão é avaliada pelos analistas como uma política comercial abrangente que congrega uma ampla gama de sectores mas, no curto prazo, concentra-se explicitamente nos têxteis, vestuário, calçado e acessórios, enquanto os produtos a serem melhorados no período 2021-2030 incluem matérias-primas para os sectores do vestuário e calçado.

A decisão vai por isso exigir que as indústrias orientadas para a exportação operem numa cadeia de aprovisionamento mais alargada e com maior valor acrescentado.

Para isso, serão necessários investigação e desenvolvimento adicionais, melhor uso de aplicações e transferências de tecnologia existentes, formação dos recursos humanos para a produção de valor acrescentado e ações de desenvolvimento de mercado.

Embora o peso do vestuário dentro do portefólio de exportações do Vietname tenha diminuído (atingindo o valor mais baixo, 6%, em 2016), os analistas da indústria do Vietname estão confiantes de que a nova orientação vai ajudar a reverter a tendência.

«A longo prazo, é verdade que destinos como o Bangladesh vão assumir um maior peso na produção intensiva em mão de obra e de baixo valor, que caracterizou as exportações vietnamitas nos últimos anos», afirma Maxfield Brown, da Dezan Shira & Associates, ao just-style.com.

Melhorar a competitividade

Um analista de uma multinacional de maquinaria têxtil, que pediu para manter o anonimato, referiu também que a mudança de política está enquadrada numa campanha mais vasta do governo vietnamita para melhorar a competitividade das exportações de vestuário, facilitando o sourcing de proximidade para fios e tecidos e atualizando as suas capacidades de tingimento e estamparia.

«Especificamente, o governo vietnamita está a falar sobre uma maior abertura aos investidores têxteis sul-coreanos, facilitando as operações e sem os atrasos burocráticos habituais», explicou a mesma fonte a just-style.com.

No entanto, ilustrando que a indústria vietnamita ainda tem um longo caminho a percorrer, um estudo recente da economista Vu Thanh Huong, da Universidade de Economia e Negócios de Hanói, revelou que as exportações chinesas de vestuário e têxteis estão ainda bem à frente do Vietname em termos de competitividade. Publicado em fevereiro de 2016, o relatório concluiu que o Vietname era menos competitivo do que a China em relação a salários, mão de obra, produtividade e investimentos em I&D.