Início Notícias Marcas

Jeans mais verdes

A Levi’s está a apostar forte na sustentabilidade, promovendo a reutilização de peças de vestuário em fim de ciclo de vida, reaproveitando-as para fabrico de artigos novos, assim como outros materiais.

A maioria dos esforços de sustentabilidade desempenhados por marcas de moda concentram-se, tendencialmente, na purificação das suas cadeias de aprovisionamento. Estes esforços são certamente positivos, mas essa é apenas a primeira etapa do ciclo de vida de uma peça de vestuário.

A segunda etapa inicia-se, somente, aquando da aquisição por um cliente , frequentemente, culminando num aterro sanitário. Anualmente, nos EUA, cerca de 10,5 milhões de toneladas de vestuário têm como destino os aterros. Um novo programa ambicioso de objetivos desenvolvido pela Levi’s pretende contrariar esta tendência. A marca de denim americana está a expandir o programa de reciclagem a todas as suas localizações nos Estados Unidos da América, incluindo as lojas. Os clientes terão a possibilidade de depositar o vestuário ou calçado de qualquer marca no espaço Levi’s mais próximo e a Levi’s irá trabalhar com o seu parceiro, a I: Collect – que coopera, também, com marcas como H&M e Puma –, para fazer o melhor uso do mesmo.

O programa enquadra-se nos esforços mais vastos de sustentabilidade da Levi’s, que incluem, também, o programa de redução do consumo de água. Foi executado, num modelo piloto, em São Francisco, durante um ano, e Michael Kobori, vice-presidente de sustentabilidade da Levi’s, afirmou que o seu sucesso motivou a empresa a expandir a sua ação à escala nacional. «Isso é, efetivamente, baseado nessa experiência e no facto de estar a funcionar», admitiu Kobori. «Pretendíamos expandir e dar o próximo passo rumo à nossa visão de uma economia mais circular ou sistema de circuito fechado para os nossos produtos», explicou.

A Levi’s envia todas as roupas doadas para as instalações da I:Collect, nas quais a empresa classifica os itens em mais de 300 categorias, como forma de determinar o destino dos artigos. Produtos usáveis são revendidos para que continuem a ser aplicados. As peças não usáveis são reaproveitadas, o que geralmente significa a sua posterior aplicação em materiais de isolamento, amortecimento, enchimento para bancos de automóveis ou mesmo para preencher bonecos de peluche. Alguns são, ainda, reconvertidos em fibras a serem usadas em roupa nova. O objetivo final da Levi’s é fechar o ciclo, o que significa, do ponto de vista da sustentabilidade, ser capaz de reciclar um produto antigo e transformá-lo em algo novo sem ter de recorrer a recursos virgens. No entanto, isso coloca grandes desafios.

O primeiro passo é configurar a infraestrutura para fazê-lo, o que a Levi’s pretende levar a cabo em todas as suas mais de 500 lojas no continente americano, na Europa e na Ásia até 2020. Em seguida, surgem os desafios do próprio processo de reciclagem. Quando se cortam as fibras de algodão para a reciclagem, elas ficam mais curtas, o que as torna mais fracas e menos adequadas para uso numa peça de vestuário. Segundo Michael Kobori, atualmente, uma peça de roupa só pode ser confecionada a partir de cerca de 20% de algodão reciclado ou não respeitará os padrões de qualidade exigidos. A empresa está a cooperar com as suas unidades de fabrico no aumento desta percentagem, testando misturas de algodão Pima, uma variedade de fibra longa.

Os tecidos confecionados a partir de uma mistura de poliéster e algodão são, também, problemáticos, uma vez que as fibras têm de ser separadas antes de poderem ser reutilizadas. A H&M e o grupo Kering estão a estudar esta questão, cooperando com a empresa de reciclagem de produtos têxteis Worn Again. A isto soma-se o desafio de levar as pessoas a percecionarem o vestuário reciclado da mesma forma que encaram os outros produtos. A Levi’s oferece aos clientes um voucher de 20% de desconto se reciclarem roupas usadas, uma decisão que os céticos podem apontar como apenas uma forma de incentivar as compras. O vice -presidente de sustentabilidade diz que se trata, apenas, de mudar o comportamento das pessoas.