Início Destaques

João Pereira Guimarães a caminho do milhão

A especialista em malhas ketten tem vindo a crescer paulatinamente e, apesar dos percalços, mantém a meta de, nos próximos anos, atingir um milhão de euros de vendas. Para isso, a João Pereira Guimarães está a a reorganizar-se e a certificar-se, ao mesmo tempo que pondera a presença em certames internacionais.

Carolina Guimarães

O objetivo de atingir um milhão de euros em vendas foi traçado pela administradora Carolina Guimarães, quando há cerca de quatro anos tomou o leme da empresa familiar fundada em 1956 pelos avós Arnaldina e João Pereira Guimarães e, «enquanto não a atingirmos, será sempre a meta», afirma ao Portugal Têxtil.

A empresa, que produz anualmente 130 toneladas de malhas ketten com recurso a 19 teares e um efetivo de 13 pessoas, encerrou 2021 com um volume de negócios de cerca de 850 mil euros, um valor que ficou em linha com o histórico da João Pereira Guimarães, apesar dos constrangimentos provocados pela pandemia. «Tem vindo a subir lentamente e o objetivo nunca foi um crescimento abrupto», explica Carolina Guimarães, que estabelece como ideal «mantermo-nos firmes e consistentes».

Por isso mesmo, o objetivo do milhão de euros deverá ser superado em 2023 ou 2024, coincidindo com outra ambição da administradora: a participação em certames internacionais. «O caminho internacional ficou por explorar porque não era altura para isso», admite Carolina Guimarães, apontando Paris como a cidade mais desejada para essa estreia. «Paris seria sempre o meu objetivo», reconhece.

A pandemia, contudo, tem trazido instabilidade ao negócio, assume a administradora, garantindo todavia que houve aspetos positivos, como o nicho de mercado das máscaras. «Neste momento, aquilo que peço mais é estabilidade, que é uma coisa que não temos tido. O aumento dos custos dos transportes, da energia, que é, acho eu, consequência do covid, é algo que, no dia a dia, nos traz uma instabilidade enorme, pelo que neste momento aquilo que peço é que as coisas estabilizem para conseguirmos trabalhar com alguma capacidade de previsão e estabilidade. Este ano era isso que eu queria: estabilizar e conseguir consolidar os resultados», indica Carolina Guimarães.

Investimentos na ordem do dia

Nos últimos anos, a João Pereira Guimarães tem vindo a fazer investimentos, tanto na renovação das instalações, como na melhoria dos processos. «Internamente fizemos um programa de rastreabilidade, que nos permitiu melhorar», conta a administradora. A especialista em malhas ketten aproveitou ainda o período mais calmo do ano passado para trabalhar na certificação pela ISO 9001, a norma de referência internacional para a certificação de sistemas de gestão da qualidade. «É muito importante para os produtos técnicos [que constituem 60% das vendas da empresa] e era algo que já estávamos a lutar desde 2020. Foi desafiante porque reorganizar uma empresa com 60 anos não é fácil – deu muito trabalho e exigiu a cooperação de todos, mas foi alcançado com sucesso e ficámos muito contentes com isso», assegura a administradora.

Nos planos está ainda um aumento da capacidade produtiva, com a aquisição de novos equipamentos, nomeadamente um novo tear e uma máquina de deteção de defeitos. «Gostava muito de aumentar a capacidade produtiva, sem fazer nenhuma loucura», confessa Carolina Guimarães, que reforça que «o objetivo é sempre ir crescendo devagarinho, de uma forma sustentada, e ir vendo como correm as coisas».