Início Notícias Têxtil

Jofiltec: do berço à casa

A especialista em tecidos para confeção de bebé e criança saltou do berço para a casa, alargando a sua oferta à decoração com uma representação da espanhola Visatex. A crescer na ordem dos dois dígitos, o mercado interno continua a ser o número um da Jofiltec.

«O mercado interno representa 80% a 90% das vendas. Os restantes fogem para Espanha, com a Rússia a representar talvez 1%», revela, ao Portugal Têxtil, Armando Ramos, diretor de vendas de Jofiltec, acrescentando que o contacto com o país dos czares surgiu via Modtissimo. «Conseguimos clientes diretos na Rússia através da presença na feira», afirma.

Presença regular, como visitante, nos salões internacionais, a Jofiltec tem no Modtissimo a sua feira de eleição.

«Tem uma importância vital no mercado. A nível nacional, mas cada vez mais para quem pretende alguns contactos no plano internacional», reconhece o diretor de vendas da Jofiltec, que pretende continuar a explorar o mercado russo.

«A Rússia é uma potência», considera.

A empresa detentora de uma carteira de aproximadamente 500 clientes conta com um efetivo de cinco pessoas nas suas instalações em Vila Nova de Gaia e, dentro de portas, desenvolve duas coleções anuais, primavera-verão e outono-inverno.

Recorrendo à subcontratação para os serviços de estamparia, sendo os estampados a especialidade da Jofiltec, os tecidos 100% algodão para confeção de bebé e criança têm embalado desde cedo os negócios da empresa.

Mais recentemente, a Jofiltec quis explorar também os ambientes dos graúdos, incluindo na sua oferta uma gama de decoração através da representação, em território nacional, da empresa espanhola Visatex.

«Agora, ao fazermos esta parceria com a Visatex, entrámos noutro patamar, que é a decoração. Esta empresa tem tecidos para tudo o que é decorativo, edredão, cortina, toalha de mesa», explica Armando Ramos sobre a empresa que trabalha sobretudo com os continentes europeu e americano.

A crescer «entre os 15% a 20%» nos últimos anos, Armando Ramos olha para o futuro da Jofiltec com otimismo.

«Estou satisfeito com o mercado. Dá-nos garantias para que entremos em 2018 com vontade de investir, ter novas coleções, etc», adianta ao Portugal Têxtil.