Início Notícias Retalho

Kanye West desperta Gap Inc. com colaboração para 2021

Mesmo em tempos de pandemia, a retalhista de vestuário registou uma quebra de 5% nas vendas online. A mais recente parceria com Kanye West despertou as ações da Gap In.c que escalaram 13% e promete ser o ponto de viragem para colmatar a «incapacidade» para fidelizar clientes.

[©Gap]

As ações da Gap Inc. subiram 13% depois da retalhista de vestuário americana ter anunciado a assinatura de um contrato com Kanye West para criar uma nova linha de vestuário para adulto e criança. Este projeto, batizado Yeezy Gap, será lançado no próximo ano e vai dar a conhecer tanto a marca Yeezy como a Gap a novos consumidores.

Em adolescente, Kanye West chegou mesmo a trabalhar numa loja Gap em Chicago e, atualmente, depois de se ter tornado uma referência no mundo da música, na arquitetura e até mesmo no calçado e na moda regressou ao grupo mas, desta vez, com outro propósito. «Estamos entusiasmados por receber o Kanye de volta à família Gap como um visionário criativo, aproveitando a estética e o sucesso da sua marca Yeezy e, em conjunto, definir uma parceria de retalho de próximo nível», afirma Mark Breitbard, diretor global da Gap Brand, citado pelo just-style.com.

A Yeezy Gap será desenvolvida no estúdio de design da Yeezy sob a direção criativa de Kanye West, que vai dar vida a conceitos básicos modernos para homem, mulher e criança a preços acessíveis. O processo criativo está já em curso.

Apesar das duas marcas terem unido forças, Kanye West continua como proprietário exclusivo da Yeezy, que em abril de 2020 foi avaliada em 2,9 mil milhões de dólares) cerca de 2,6 mil milhões de euros).

Não é a primeira vez que a Yeezy colabora com outra marca, a alemã Adidas tinha já lançado uma linha de calçado com o rapper americano.

Como parte do acordo plurianual, a Yeezy vai receber os direitos e o potencial de equidade se a linha tiver êxito. Algumas informações dos media, sugerem que a mais recente parceria terá a duração de 10 anos e que o novo projeto pode mesmo gerar um bilião de dólares nas vendas anuais, adianta o just-style.com

Ponto de viragem

A Gap Inc. é a maior empresa de vestuário dos EUA e também a segunda maior plataforma de vestuário de comércio eletrónico, abarcando as marcas Gap, Old Navy, Athleta e Banana Republic. Contudo, o desempenho da marca Gap tem vindo a revelar-se pouco positivo devido à falta de novidades e à própria essência e posicionamento da marca.

Os resultados económicos mais recentes foram também um novo motivo de alarme, com o encerramento generalizado das lojas causado pela pandemia do novo coronavírus.

No primeiro trimestre do ano até 2 de maio, as vendas líquidas desceram para metade na Gap Global, com as vendas em loja a baixarem 64% e as vendas online 5%. «A Gap tem sido um desafio para nós», admitiu a CEO Sonia Syngal aos analistas.

Como resultado, a retalhista tomou algumas medidas, como a redução de 25% do número de funcionários, a implementação de novos produtos e segmentos, como a equipa Gap, e novas oportunidades com o acordo de licenciamento da IMG, que confere a possibilidade de disponibilizar produtos diversos e complementares como equipamentos para bebé, móveis e decoração para casa na Gap, Banana Republic e Jaine and Jack.

«Enquanto outros retalhistas estavam quase a duplicar as receitas das vendas online, as vendas online da Gap caíram 5%. Acreditamos que isto é um sinal da falta de relação da marca com os clientes e da sua incapacidade para os fidelizar», explicou Neil Saunders, diretor-geral da GlobalData Retail, quando saíram os resultados.

«Isto claramente demonstra que uma parte justa das vendas não é impulsionada por um forte desejo de visitar e comprar na Gap, mas sim por visitas ocasionais às lojas e compras por impulso, que são muitas vezes estimuladas por descontos excessivos. Com as lojas fechadas, a Gap sai do radar e os consumidores não têm vontade nem o desejo de comprar a marca online. A Gap está consciente deste problema há uma eternidade, mas está constantemente a falhar em agir», acrescentou.

Para Sonia Syngal, antiga presidente e diretora-geral da Old Navy, nomeada em março como nova CEO do grupo, esta parceria com a Yeezy, que já fez despoletar as ações da Gap Inc., pode ser o ponto de viragem para o futuro.