Início Notícias Marcas

Kitess em onda de loucura

Nasceu como um hobby que acabou por se tornar um negócio e, ao mesmo tempo, uma paixão que se traduz no comércio de swimwear exclusivamente para mulheres. Em 2019, a duplicação do volume de negócios da Kitess foi uma «loucura» e 2020 soma já novas metas no horizonte.

Destaca-se pelos muitos detalhes como folhos, padrões florais, laços e plissados para fazer a diferença no mercado em relação a outras marcas. Assume-se como «feminina e divertida» e disponibiliza artigos de swimwear essencialmente para mulheres dos «15 aos 50 anos». «Somos uma marca para quem aprecia detalhes, design e peças diferentes. Tentamos fazer cada peça de forma a que ela transmita um sentimento de confiança e alegria a quem a veste», explica Inês Rodrigues Pereira, fundadora da marca, ao Portugal Têxtil.

Foi criada inicialmente para os millennials e acabou por alargar o espectro de idades dos consumidores e, à semelhança do que aconteceu com o público alvo, o que era para ser só uma brincadeira deu origem a um modelo de negócio.

«A Kitess é uma marca que nasceu para jovens. Era um hobby, uma brincadeira que depois se tornou um negócio e uma paixão», conta. «Em 2013 tivemos a primeira coleção própria de roupa e somente em 2016 fizemos a primeira coleção swimwear. Desde então é aí que nos focamos a 100% porque é neste segmento que sentimos que somos realmente bons e diferentes», acrescenta a empresária.

Na Kitess tudo pode servir como fonte de inspiração para pintar o mote de cada coleção, quer sejam paletas de cores, semanas de moda, natureza ou até mesmo arquitetura. A Nomad, a coleção mais recente da especialista em biquínis e fatos de banho teve a sua génese na cultura marroquina. «Durante a minha pesquisa para fazer o moodboard para a coleção encontrei um riad lindo de morrer onde acabamos por conseguir fotografar parte da campanha em que a cor predominante era uma variante de verde menta. Apaixonei-me pela cor e é uma das nossas cores lisas para 2020, e ainda fizemos uns padrões inspirados nesse riad com essa cor», revela Inês Rodrigues Pereira.

Foco e sazonalidade

Os produtos da Kitess estão à venda online no website, que tem como principais mercados Portugal, Espanha, França e EUA. Além da presença digital e da estratégia «essencialmente focada» nas redes sociais que «faz a diferença», os artigos encontram-se também em lojas multimarca e num showroom no Porto.

«Queremos que o nosso canal de vendas online e o nosso showroom sejam os principais locais de venda em Portugal», adianta a fundadora da marca. «Ao nível de retalhistas, estamos ainda no início, mas estamos em lojas multimarca em Espanha, França, Holanda, Canada, EUA…», acrescenta.

Com a ajuda de uma «pequena fábrica» que colabora com a marca a full time, a Kitess utiliza elastano, «forros de alta qualidade» e acessórios para enaltecer as peças da marca, que está maioritariamente focada no mercado espanhol. No entanto, para o seu próprio website, o objetivo diverge e centra-se no combate à sazonalidade do produto. «Vamos associar um grupo de agentes que cobrem o território espanhol todo. No online, queremos entrar na Austrália, para colmatar o inverno da Europa», esclarece Inês Rodrigues Pereira.

Alavanca de crescimento

Em 2019, o crescimento da insígnia duplicou devido à presença em feiras e à estratégia implementada nas redes sociais, que foi uma «grande alavanca para a internacionalização». «O ano de 2019 excedeu as nossas expectativas, duplicámos a nossa faturação, o que é uma loucura! Para 2020 queremos crescer entre os 35% e 40%. Acho que seria irreal pormos como objetivo duplicar novamente, queremos crescer de forma sustentável», assume a empresária.

A Kitess, que afirma estar sempre a trabalhar em novidades, encontra-se já a preparar uma coleção resort e, num futuro próximo, o caminho será traçado para a consolidação da marca. «Queremos aumentar as categorias de produtos e ter um ponto de venda oficial em Lisboa», confessa Inês Rodrigues Pereira.