Início Notícias Marcas

Kozii, a globetrotter

Percorrendo o globo em busca de materiais exclusivos, as coleções da Kozii contam histórias de multiculturalismo através das técnicas de tecelagem e estampagem. Mas, depois das viagens, a marca de vestuário e acessórios regressa sempre a casa, a Portugal.

Desde que foi fundada, em 2015, em Tavira, a Kozii tem procurado o equilíbrio entre uma produção de moda contemporânea e um comércio justo e sustentável, mantendo altos padrões éticos e ambientais em todas as etapas do seu processo de produção, como fizeram questão de resumir os seus fundadores, Nuno Campos e Cecília Telo, em entrevista ao Portugal Têxtil.

«A maioria das peças é produzida na Índia, ainda que a nossa vontade seja trazer parte da produção para Portugal», revela Cecília Telo, que desenvolve todos os padrões e designs das peças. «Hoje em dia, faz-se muito à distância. Eu desenvolvo os estampados no programa Adobe Illustrator, trabalho com o Pantone para as cores, envio e, depois, eles enviam-me as provas», explica.

Os fundadores da marca passam, também, um mês por ano naquele país «para afinar os modelos nas fábricas e procurar novidades», sendo que a Kozii faz questão de desvendar e explicar no seu website e redes sociais cada um dos processos de estampagem (como o woodblock printing, o mud resist, o índigo e o ikat) e de tecelagem (como o khadi) utilizados.

Com duas coleções anuais para senhora, a Kozii «produz uma média de 10 mil peças por ano», indica Nuno Campos, com o algodão, a lã, o linho, a seda e o modal entre as fibras privilegiadas. «Todos os anos descobrimos coisas inovadoras. Agora, temos fibras de banana, de soja e de milho, entre outras. São tecidos que estão a ser desenvolvidos», acrescenta Cecília Telo.

Este apelo das fibras naturais garantiu à Kozii a presença na lista de expositores da Ethical Fashion Show, salão que se realizou em Berlim de 16 a 18 de janeiro.

«Foi a primeira feira que fizemos, foram eles que nos contactaram e nós dissemos que sim! Fizemos também um desfile», conta Cecília Telo ao Portugal Têxtil.

A par do vestuário, a Kozii oferece ainda acessórios, artigos decorativos para o lar, como almofadas e mantas, e tecidos a metro, vendidos nas quatro lojas próprias (duas lojas em Tavira, uma na Praia Verde, em Castro Marim, e outra em Vila Nova de Milfontes) da marca em Portugal, mercado que tem absorvido a totalidade da produção.

«Até agora, não tínhamos capacidade para distribuir para outras lojas, era muito artesanal, os tecidos demoram muito a fazer», frisa Cecília Telo, adiantando que, entretanto, «as coisas foram evoluindo e sentimos que podemos abrir algumas portas, mas não pode ser algo massivo» e que, por isso, poderá haver novidades em breve, como a entrada em mercados internacionais.