Início Arquivo

Lagerfeld sem sucessor

Alguns dos criadores de moda mais emblemáticos dos últimos anos têm já mais de 70 anos de idade, como é o caso de nomes como o de Giorgio Armani (75 anos), Ralph Lauren (70 anos) e Karl Lagerfeld (76). é precisamente por esse motivo que surge a dúvida sobre a possibilidade de, nos próximos tempos, algum desses criadores se retirar das suas funções. No entanto, nem todas as empresas de moda parecem querer falar de possíveis sucessores para os seus geniais criadores. A marca francesa Emanuel Ungaro tem tido vários problemas para encontrar o seu equilíbrio criativo, desde que o seu fundador deixou a empresa. Outro exemplo é a Gianfranco Ferré que, apesar de agora contar com os estilistas Tommaso Aquilano e Roberto Rimondi, sofreu um duro golpe quando Lars Nilsson foi despedido apenas uns dias antes do desfile de 2008. De igual forma, Tom Ford teve também um infeliz trajecto na Yves Saint Laurent, onde ocupou o cargo de estilista em 1999. Na altura, o fundador da marca queixou-se inclusivamente de que Ford «não respeitou a minha visão». Por consequência, Tom Ford nem sequer aparece na secção da história corporativa do site oficial “YSL.com”, apesar de ter trabalhado para a casa de moda durante quatro anos. O receio de passar por este tipo de situações faz com que muitos criadores não se queiram afastar das suas funções, em detrimento de uma sucessão negativa. «Poucas pessoas estão dispostas a deixar as suas empresas. Muitas vezes, essa decisão deve-se a vaidade», afirma Jean-Jacques Picart, assessor de moda de Bernard Arnault, responsável do grupo de luxo LVMH, referindo-se aos fundadores das grandes casas de moda. Ralph Lauren, Oscar de la Renta ou Giorgio Armani não se manifesta ainda sobre o seu possível sucessor. «Karl Lagerfeld é o director-criativo da Chanel e detém um contrato a longo prazo, o qual nem sequer é questionável», afirmou a Chanel, acrescentando ainda que «a sua sucessão não está agendada para breve». é realmente difícil imaginar uma casa tão emblemática como a Chanel sem o kaiser da moda a dirigir o seu destino, mas não deixa de ser utópico e surrealista pensar que os grandes criadores de moda possam ser eternos. Deste modo, muitos críticos de moda consideram inconcebível que a marca ainda não tenha pensado num sucessor, mas a Chanel considera que «a nossa aposta é no presente e o nosso presente está nas mãos de Karl Lagerfeld».