Início Destaques

Lameirinho reforça confeção

A gigante dos têxteis-lar criou uma nova unidade de confeção, que emprega cerca de 30 pessoas, para acrescer a capacidade produtiva. O investimento permite aumentar o número de peças confecionadas mensalmente pela Lameirinho para 500 mil unidades.

A nova confeção faz parte do investimento de cerca de 3,6 milhões de euros que a produtora de têxteis-lar concretizou em 2018 e que incluiu uma melhoria nas infraestruturas da empresa e a aquisição de 20 teares. Atualmente com 29 pessoas a trabalhar, a nova unidade tem por objetivo «aumentar a nossa capacidade produtiva nesta área», revela Paulo Coelho Lima ao Portugal Têxtil.

Segundo adianta o CEO da Lameirinho, o investimento «considerável» na criação da nova confeção «vai ajudar a fazer face às solicitações do mercado». Além disso, «pela escassez de recursos humanos nesta área, estamos também a investir em formação de novas costureiras para depois serem integradas na empresa», acrescenta.

Investir para crescer

Com uma capacidade média mensal de 600 mil metros lineares na tecelagem, de 900 mil metros lineares nos acabamentos e de 500 mil unidades na confeção, a Lameirinho deverá prosseguir os investimentos em 2019. «A Lameirinho faz investimentos contínuos», sublinha Paulo Coelho Lima. «Podemos já adiantar que este ano vamos continuar a investir, na lavandaria interna e na tinturaria de fio, também com o objetivo de aumentar a produtividade», desvenda o CEO.

A caminho dos 71 anos, a produtora de roupa de cama e mesa, que emprega diretamente 711 pessoas, conta, além da capacidade industrial, com uma rede de distribuição, com várias lojas físicas e online, onde vende as marcas Lameirinho Collection, ASA e Hierba, assim como a Purificación Garcia, para a qual tem licença.

No total, as marcas próprias valem atualmente cerca de 7% do volume de negócios, que em 2018 se cifrou em 61,5 milhões de euros.

«Estrategicamente vamos manter o enfoque no private label, que é o nosso negócio principal, mas queremos continuar a apostar na marca própria, diversificando os seus segmentos», indica Paulo Coelho Lima.

Para 2019, a Lameirinho, que recentemente esteve na Heimtextil com um leque de produtos sustentáveis, tem como meta «consolidar mercados e conquistar novos territórios. No entanto, prevemos um ano difícil com muita volatilidade a vários níveis e para o qual o Brexit poderá contribuir», antecipa o CEO.