Início Destaques

Latino produz “armadura” para médicos

A empresa especialista em equipamentos de proteção e vestuário de trabalho aliou-se ao movimento #ProjectOpenAir que acaba de apresentar a solução Front Line Medic Protection, um equipamento completo desenhado para proteger os profissionais de saúde.

O equipamento foi concebido por uma equipa de voluntários em parceria com o Latino Group e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e resulta de uma iniciativa do médico Miguel Onofre Domingues, afeto ao Estado-Maior-General das Forças Armadas. Apesar da sua experiência em cenários de guerra, o médico assumiu que «nunca me senti tão desprotegido como agora» por falta de equipamento de proteção adequado.

A nova “armadura” contempla, além do fato completo de corpo inteiro com proteção de pescoço, ombros e capuz, uma touca, óculos de proteção, viseira, avental, luvas até ao cotovelo, cobre botas até ao joelho e manguitos. «Este kit pode ser adaptado às necessidades e protocolos estabelecidos em cada unidade hospitalar», explica o comunicado enviado pelo movimento #ProjectOpenAir.

Além disso, refere, é «uma inovação que representa uma vantagem face aos equipamentos descartáveis que se encontram atualmente em uso, por garantir uma redução da produção de resíduos e também por reduzir as necessidades de investimento do Serviço Nacional de Saúde».

De acordo com o professor André Dionísio Rocha, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL e um dos mentores do projeto, o fato integral funciona como uma armadura contra o Covid-19 e pode ser reutilizado, com lavagens regulares, tal como estabelece a certificação que lhe foi atribuída pelo CITEVE, que atesta que suporta 25 lavagens sem perder propriedades.

Além do Latino Group, a produção do kit envolve ainda a Science4you – a empresa de jogos e brinquedos educativos que, face à pandemia, transformou a sua linha de produção e faz agora viseiras, óculos e gel sanitário – e a Culto da Imagem – que converteu a produção de suportes publicitários para viseiras –, «que estão já preparadas para produzir as diferentes peças do kit, de acordo com as normas estabelecidas pela DGS [Direção-Geral de Saúde] para a prevenção e controlo de infeção, relativas ao equipamento de proteção individual. Um contributo para o qual foi fundamental o envolvimento da COTEC», aponta o comunicado.

Segundo o website do movimento, graças ao apoio da campanha #unidosporportugal, promovida pela SIC Esperança e pela Federação Portuguesa de Futebol, «está já em marcha a produção de 5.000 kits completos que serão distribuídos por profissionais de saúde de norte a sul do país, permitindo a proteção de pelo menos 125.000 turnos».

O #ProjectOpenAir é o resultado de um movimento que começou nas redes sociais e reuniu uma comunidade de voluntários com o único objetivo de servir a humanidade na sua luta contra o Covid-19. Entre outros, este movimento contribuiu para o desenvolvimento de um ventilador de código aberto, de baixo custo, e também esteve na origem da plataforma Vent2Life, que pretende recuperar equipamentos médicos inoperacionais. «Outros projetos em andamento incluem prevenção, contenção, assistência remota, suporte logístico, aplicativos móveis, entre outros», anuncia.