Início Destaques

Lectra acelera modelagem

As Quick Apps, nomeadamente a Quick Estimate e a Quick Nest, e a evolução para o modelo de subscrição serão o foco do próximo Café da Manhã da Lectra, que na semana passada se debruçou sobre as vantagens da modelagem inteligente e da solução Modaris Expert 3D.

Modaris

As Quick Apps, um primeiro passo na integração das aplicações CAD para a nuvem e para o conceito de software como serviço (SaaS – Software as a Service), são o tema do quinto webinar da Lectra Portugal, agendado para o dia 3 de junho, às 10h da manhã (as inscrições podem ser feitas aqui).

Na última edição, na semana passada, o Café da Manhã da Lectra foi dedicado à modelagem inteligente, uma área que, segundo Fernando Ribeiro, especialista em soluções Lectra da filial portuguesa, tem ganho cada vez mais relevância no contexto atual, onde as vendas online assumem um papel mais preponderante.

«Havendo uma grande deslocação das vendas físicas para as vendas online, há muitas empresas que estão a apostar fortemente nas vendas online», referiu, dando como exemplo uma empresa de retalho que em apenas 13 semanas foi capaz de criar um negócio de comércio eletrónico com sucesso. «Nesta linha temporal foi criada uma oferta com os respetivos moldes, os protótipos com as fotografias e o website», explicou, acrescentando que a empresa em questão «partiu do zero para uma presença online que, a partir da primeira semana, começou a crescer cerca de 400% por semana» no primeiro mês. Isso foi possível, também, graças à análise de indicadores de desempenho e consequente otimização e adaptação da oferta.

O papel da modelagem

Para Fernando Ribeiro, «um dos grandes desafios que se coloca às empresas é que, se estamos num ritmo cada vez mais acelerado, a modelagem tem de responder de forma ainda mais acelerada». É aí que entra o Modaris Expert 3D, um modulo do software de modelagem que, sublinhou o especialista em soluções Lectra, «não é só uma série de funções a mais. É uma metodologia de trabalho que nos permite modelagens mais inteligentes e também uma redefinição de conceitos, a forma de pensar, de fazer a modelagem e de como se desenvolvem os modelos». No fundo, definiu, «permite-nos estruturar o desenvolvimento do produto de forma bastante inteligente, capitalizar património e a prática de modelista, aumentar a qualidade do produto, facilitar a comunicação e aumentar a capacidade de inovação, que é o que se quer cada vez mais hoje em dia».

Em termos de filosofia de trabalho, o Modaris Expert 3D permite reduzir o número de operações, aumenta a flexibilidade, facilita as alterações, torna mais rápido o processo, graças a automatismos que, ao mesmo tempo, reduzem a margem de erro, e, ao mesmo tempo, gera uma simulação realista e interativa do produto final. «Podemos visualizar o resultado final em 3D e interagir e alterar essa visualização sem sair do mundo virtual e do Modaris», apontou Fernando Ribeiro.

Este módulo Expert 3D integra conceitos como planos de trabalho, em que os moldes são desenvolvidos em camadas, dependências, com as alterações a refletirem-se nas peças interligadas e também em todos os tamanhos, construção paramétrica, com a modelagem a ser controlada pela tabela de medidas, reutilização de peças base, que podem ser adaptadas a novos modelos, e criação de pregas paramétricas, geradas a partir de parâmetros definidos pelo utilizador. «Por último, a simulação em 3D tem uma biblioteca de várias centenas de materiais, que nos permitem fazer simulações com vários tecidos e malhas», salientou.

Testado e comprovado

O software Modaris tem já mais de 10 mil licenças em todo o mundo e, no caso do Modaris Expert 3D, foi feito um estudo que envolveu uma marca europeia e um produtor português, em que a primeira tinha responsabilidade sobre o design e a aprovação e o segundo tinha de fazer o desenvolvimento do produto, incluindo a modelagem, prototipagem e produção, no caso de blusas de senhora de gama média-alta.

De um lado, o processo seguiu as vias normais, com amostras físicas, enviadas por uma transportadora, que eram provadas num manequim real. Os comentários eram enviados por email e as repetições dos protótipos seguiam sempre o mesmo procedimento.

Numa outra versão, foi feito exatamente os mesmos moldes, mas com amostras virtuais enviadas por email, com comentários integrados na simulação. As alterações foram feitas sempre de forma virtual até à aprovação do protótipo para aprovação.

Os resultados mostraram, que, em termos de aprovação, o método tradicional implicava um período de 32,1 dias enquanto com o Modaris Expert 3D, foram apenas 22,5 dias, menos 9,6 dias. «Reduzimos em quase um terço o tempo de aprovação», salientou Fernando Ribeiro.

O número de amostras necessárias para a aprovação também diminuiu de 128 para 65 (-49,2%) com o processo virtual, «porque a modelista, quando está a fazer um molde, pode fazer logo a simulação e detetar pequenos erros ou alterações que evitam a produção do protótipo», justificou o especialista em soluções Lectra da filial portuguesa.

Do lado da marca, as principais vantagens apontadas foram a redução do tempo, enquanto o produtor apontou «a maior qualidade e segurança da modelagem, o facto das amostras não dependerem dos materiais físicos e uma redução de custos significativa», enumerou Fernando Ribeiro. «É um ciclo de desenvolvimento acelerado e uma enorme vantagem competitiva», concluiu.

Este webinar dedicado à modelagem inteligente foi o quarto realizado pela filial portuguesa da Lectra, depois de terem já sido abordadas as soluções Kubix Link, Fashion On Demand e a Sala de Corte 4.0.